Quinze anos pode até nem ser muito tempo mas à velocidade que a música nasce e morre hoje em dia, quinze anos é motivo para uma celebração. Os Interpol estão há já algum tempo na estrada com a tour de aniversário da décima quinta volta ao calendário que o seu longa-duração de estreia leva já nas mãos.

Turn On The Bright Lights foi editado originalmente a 20 de Agosto de 2002 e juntava-se a uma nova geração de bandas que recuperavam as leis do post-punk e as revitalizavam através de múltiplas leituras mais contemporâneas e mais ou menos fiéis aos ecos que chegaram desde os finais dos anos 70 e boa parte dos anos 80 até hoje. Os Interpol colocavam a sua estreia ao lado de outras estreias notáveis que delinearam o futuro da cena independente moderna e que a trouxeram para um lugar de destaque novamente: o disco homónimo dos The NationalThis is It dos The StrokesThe New Song & Dance dos Radio 4Mirror dos The Rapture e Turn On The Bright Lights abriram caminho a um verdadeiro batalhão de edições por parte de um extenso exército de post-punkers.

E se ao ultrapassar a marca dos dez anos a banda de Paul Banks, Sam Fogarino e Daniel Kessler reeditou o disco que alberga marcas incontornáveis da obra dos nova-iorquinos como “Say Hello To The Angels”, “Leif Erikson” ou “Stella Was a Diver and She Was Always Down”, agora é com uma tour em que todos os temas do disco são tocados que se assinala a marca. Mas não só, é também com música nova.

Interpol Turn on the Bright Lights 15th Anniversary Tour

Interpol Turn on the Bright Lights 15th Anniversary Tour

Paul Banks tinha anunciado há precisamente um ano que os Interpol iriam entrar em estúdio no Outono seguinte para a gravação daquele que virá a tomar o lugar de El Pintor de 2014. Ainda sem data efectiva, sabe-se desde o começo deste ano que o sexto disco sai em 2018 e agora chega a novidade de um novo tema adicionado aos alinhamentos de várias datas da Turn On The Bright Lights 15th Anniversary Tour. “Real Life” é a tal novidade que tem sido presença habitual nos encores de algumas das datas e confirma os Interpol no topo do jogo que eles próprios recriaram. Uma tema assente numa linha de guitarra distinguível vista de Marte e a ouvido nu. Estas são duas das versões que já se puderam ouvir por aí. Bem-vindos a “Real Life” em Manchester e Copenhaga .