Assinou o seu primeiro contrato discográfico aos 18 anos pela editora britânica Vox Humana e viu as músicas que compôs conquistarem o seu espaço nas rádios britânicas mas, só agora, 4 anos mais tarde, Jake Downs se encontra na posição de lançar Fracture, o seu longa-duração de estreia. Depois do tema “Crave” que editou em 2013, no qual deu a conhecer o seu luxuoso pop orquestral, o jovem multi-instrumentista apresentou “Chrysalis” como o primeiro single daquele que ficará para história como o disco que o deu a conhecer ao mundo.

Downs teve um início precoce na música: rendeu-se ao piano aos 10 anos e começou a escrever as suas próprias canções aos 14. Aos 18 foi estudar música para a Universidade de Oxford e assinou o seu primeiro contrato discográfico, aquele que o viu lançar “Seize The Water”, o seu primeiro single. Agora, com 22 anos, Jake lança Fracture, o “mini-álbum” – como o próprio lhe chama -, uma compilação de 7 canções que resume o período da sua vida, desde o lançamento do single “Crave”, há 3 anos, até agora.

Tal como os singles isolados que lançou anteriormente, também Fracture prima pela intensidade, euforia e emoções cruas que compõem as suas faixas. O álbum tem sido encarado como uma exploração entre o corpo e a mente, uma complexidade negra, que coloca Jake Downs num patamar superior relativamente aos artistas da sua idade, dada a inteligência das suas composições e o carácter profundamente pessoal e emocional que lhes atribuiu.

Gravado no Café Music Studios, “Chrysalis”, tem sido considerado um tema emotivo construído sobre texturas densas e ricas. A música é uma verdadeira metáfora de protecção e amadurecimento que tem como pano de fundo a história de um familiar próximo que tentou suicidar-se. A faixa revela a técnica vocal soberba de que Downs é dotado e o piano triste, acompanhado pelo violino, evidencia uma soturnidade esperançosa. Apesar da simplicidade da letra, é inegável o brilhantismo da composição, que transpira a autenticidade.

This night I pray for fight
And I feel your strength inside
And I hope tonight you’ll fly

Para Jake, fazer música é algo que envolve o presente, o passado e o futuro. Compor uma canção é, para si, comparável a uma relação amorosa pelo tempo que investe e o compromisso que assume ao longo de um largo período de tempo, aquele que lhe toma todo um processo que se inicia na parte lírica e se desenvolve, mais tarde, para a instrumentalização, na qual vai aprimorando e e amadurecendo as emoções que sente em relação à música que compõe.

I guess I’m often just too nervous to put a song into the public domain without having lived with it for long enough.

Jake Downs, que teve uma campanha de crowdfunding a decorrer com o objectivo de poder continuar financiar este seu projecto musical, encontra-se actualmente a tirar um doutoramento em música, na Universidade de Sheffield.

Jake Downs

Fracture, foi lançado no passado dia 02 de Dezembro, e vem com a missão de conquistar o mundo com toda a simplicidade e autenticidade deste jovem cativante que respira música, não tivesse tido ele como professora a compositora inglesa Deborah Pritchard, e como inspiração artistas desde Kate Bush e Björk a Florence + The Machine e Beyoncé passando, ainda, por Nina Simone.