Joan Wasser não assinava um disco em nome próprio desde 2014 – ano de edição de The Classic –, mas pelo meio escreveu Let It Be You com Benjamin Lazar Davis, que lança este ano o seu disco de estreia a solo a que deu o nome de Nothing Matters, com lançamento a 20 de Abril. Quatro anos depois, a pena lânguida, cosmopolita e enevoada de Joan, volta a vestir a farda de mulher polícia num disco de canções de particularidades funky que nasceram da manipulação de beats de bateria criados pelo homem das baquetas que toca com Wasser, Parker Kindred.

Ao quinto disco de originais, Joan As Police Woman assegura tranquilamente a sua continuidade entre os nomes maiores do universo feminino da escrita de canções ao lado de Feist, Anna Calvi ou St. Vincent, com um disco de contornos nervosos, obsessivos mas sempre sensuais. Uma ode à devoção que Joan coloca no processo escapatório da escrita e uma viagem de limpeza da alma pela criação.

Data de Lançamento: 09 de Fevereiro de 2018
Editora: Play It Again Sam

Lê também: O apelo à transparência no semi-funk de “Tell Me” de Joan As Police Woman