A página da Crammed Discs – a editora de Juana – diz que ela é uma good witch. Se sim, é a good witch of the south que no mundo fantástico de Oz é sinónimo de feiticeira eternamente bela e a mais poderosa de todas as bruxas cardinais. Molina assina em baixo e faz da sua experimentação o mais poderoso dos encantamentos. Quantas feiticeiras mais se lembram capazes de tornar uma tenda ainda despida de um primeiro dia de festival a meio da semana num momento de hipnose?

O regresso de Juana Molina a Lisboa aconteceu no dia 12 ali para os lados do Passeio Marítimo de Algés, e trouxe na ponta da vassoura Halo, editado no ano passado.