As gerações pré-internet e pré-facilitismo de acesso a tudo, e principalmente de desformatação de estruturas de aglutinação de canções – leia-se discos e cassetes nas suas variadas formas e feitios –, têm com toda a certeza um par ou mais de recordações de fazer compilações em K7. “Toma, fiz isto para ti!”, e deixar na mão da namorada de liceu ou da babe que se queria conquistar com uma escolha daquelas músicas que se queriam especiais para momentos especiais. “Toma, fiz isto para ti!”, e oferecer ao teu melhor amigo aquelas novidades que o primo mais velho te mostrou. Assim se construíram pelo menos duas grandes gerações de melómanos, assim se construíram cenas locais, se criaram bandas de culto. Os Beach Slang recordam-nos de quando tudo era mais dificil… e muito mais saboroso.

A banda que milita na fileiras da Polyvinyl Records e carrega de forma vincada os ecos do grunge de 90 e a militância do punk e do DIY, recuperam o conceito das colectâneas homemade e começaram no ano passado uma série à qual agora regressam para um segundo volume. Uma pitada de saudosismo, um sopro de nostalgia e carradas de bom gosto, e curtas mas especiais viagens aos caminhos da história do indie e do punk.

James Alex apresenta Here, I Made This For You da forma mais desarmada e desarmante possível. Isto é sentimento indie, isto é acreditar no punk.

I’ve always been sort of clumsy. Mostly meaning socially. That’s tricky business when you’ve got a big, gooey heart. But, yeah, when I can’t quite figure out how to say a thing to someone, I make tapes for them. I need them to really know I mean it, you know? That’s what this is: me letting you know how much I mean it. Every drunk sing along, every sweaty hug, every shirt you wear, record you grab, letter you write, thing you say…it’s a really wild heart-sweller. Thank you for all of it.

For Volume I, I landed here. I mean, lots of songs mean something to me. These six mean a whole lot. I hope they will to you. If you already know them, play them loud and remember it all. If you don’t, I hope they feel like something you’ve been waiting for.

Some people tell me I overly romanticize rock & roll. That I have too much of a dreamer head. I’ve never apologized for that. Nah, not even once.

Be alright,

James Alex

Here, I Made This For You (Beach Slang Mixtape Vol. 2) é então a segunda viagem da banda de Philadelphia, Pensilvânia, onde James Alex (voz e guitarras), Ed McNulty (baixo), Aurora Ounjian (guitarra) e Cully Symington (bateria) se entregam a uma releitura de alguns dos clássicos, muitos deles ou quase todos relativamente esquecidos, da new wave de ambos os lados do Atlântico, da baggy inglesa, do punk e do indie primordial.

O alinhamento da segunda mixtape da série Here, I Made This For You tem em “Sometimes Always” dos The Jesus & Mary Chain com a voz Hope Sandoval o seu ponto pop, mas encontramos aqui reinterpretações para “Bored Teenagers” dos The Adverts, “Wembley “ dos The Candyskins, “Nothing Can Change You” de Tommy Keene, e fecha com “Roadrunner” dos seminais The Modern Lovers. A prova cabal que na natureza do rock nada pode morrer e tudo se transforma.

O primeiro volume contava com covers dos Ride, Dramarama, Senseless Things, The Plimsouls e Best Kissers In The World. Aos mais curiosos é seguir viagem até aqui ao Bandcamp do quarteto norte-americano para descobrir ou reencontrar estes clássicos. Por aqui fica a cover de “Sometimes Always” dos Mary Chain e a mixtape Here, I Made This For You (Beach Slang Mixtape Vol. 2) na íntegra.

Para os coleccionadores, ambas as mixtapes estão disponíveis em formato K7 na loja da Poly: o Vol. 1 em azul e o segundo volume, desta vez, editada na clássica cor preta. Os Beach Slang contam até agora com dois álbuns de originais, The Things We Do to Find People Who Feel Like Us de 2015 e um dos nossos discos favoritos de 2016, A Loud Bash of Teenage Feelings.

Beach Slang by Greg Pallente

Beach Slang by Greg Pallente