Uma pequena reunião de nomes galácticos é aquilo que vem dentro da nova música dos Superchunk, que para além de lendas do power pop e do indie rock, contam ainda nas suas fileiras com Laura Balance e Mac MacCaughan, responsáveis pela Merge Records. Nos curtos minutos que “Erasure” dos norte-americanos apresenta para o futuro álbum, podemos encontrar Katie Crutchfield dos Waxahatchee e Stephen Merritt dos Magnetic Fields. Alguém chamou a este segundo single um verdadeiro all-stars? Não? Chamamos nós.

Os Superchunk tinham já anunciado um novo trabalho com a saltitona “What A Time To Be Alive” em Novembro passado, e voltam agora a celebrar a exaltação precisamente da mesma forma, mantendo a coerência sonora que lhes tem vindo a ser intrínseca desde 1989. “Erasure” é mais uma rajada de som luminoso, com batidas gingonas, guitarras veraneantes, sol e candy bars a escorrer pela voz de menino rebelde que se recusa a crescer e com uma contínua verve social e política que tem feito parte dos lançamentos da banda ao longo do ano passado – os singles “Break the Glass/Mad World (Corrosion Of Conformity( cover)” e “I Got Cut/Up Against the Wall (Tom Robinson Band cover)”. Sobre as colaborações Mac conta o que procurava,

Part of that was wanting a feeling of community. I think that’s important to not be completely bummed out about everything all the time

Mais ou menos zangados, os Superchunk lançam o seu 11º disco e sucessor de I Hate Music de 2013 a 16 de Fevereiro próximo, claro está, na sua Merge.

What A Time to Be Alive
01. What A Time To Be Alive
02. Lost My Brain
03. Break The Glass
04. Bad Choices
05. Dead Photographers
06. Erasure
07. I Got Cut
08. Reagan Youth
09. Cloud Of Hate
10. All For You
11. Black Thread