Os LAGS são italianos mas bebem do legado hard-core de Washigton DC e dos Fugazi como se fossem mais americanos que um Ford Mustang. Entre as arrancadas gigantes das guitarras dos Metz, a irregularidade rítmica nas curvas dos At The Drive-In e a voz como um muro grafitado que se desmorona à nossa passagem o quarteto italiano mostra uma maturidade e uma evolução só explicada pela já consistente carreira dos seus membros noutras aventuras. A voz e a pena estão a cargo de Antonio Canestri dos alt-folkers Hilo e a bateria está nas mãos de Andrew Howe – campeão europeu de salto em comprimento em 2006 – que já emprestou as baquetes aos Mixhell de Igor Cavalera (Sepultura, Cavalera Conspiracy). A eles juntam-se Gianluca Lateana nas guitarras e o baixo de Daniele De Carli.

O disco de estreia pela To Lose La Track Records chama-se Pilot, foi trabalhado em conjunto com Lorenzo Stecconi (ZU, Ufomammut e Hierophant) na produção e sai em Outubro. Para já temos  “Fear, Control, Mothers” e “Queen Bee”, dois enormes hinos post hard-core que em nada destoam lado a lado com os grandes nomes do punk, hard-core e muito do melhor rock de guitarras alternativas dos anos 90 em terras de Obama.