Mac DeMarco mudou. Ou, pelo menos, adquiriu o gosto pelos ambientes familiares e intimistas, acumulando experiências que se colocam cada vez mais longe das loucuras de outros tempos – embora esse nervo mais irreverente do passado não tenha por completo deixado de se ver (lembram-se da sessão acústica de “This Old Dog” sob os ouvidos atentos dos nossos amiguinhos de quatro patas num salão de beleza para cães e do vídeo para a mesma canção?)

Ainda se vai reconhecendo o Mac DeMarco de antigamente aqui e ali, mas a verdade é que o músico canadiano tem andado a passear por atmosferas mais sóbrias e tem adoptado mesmo uma postura mais contida – tanto que até já canta canções de amor. Com um disco novo ainda bastante fresco, DeMarco tem andado um pouco por todo o lado a levar as suas ambiências calmas e hipnóticas e a coleccionar as milhas que vai arrecadando com as suas sessões ao vivo que se têm ultimamente multiplicado.

This Old Dog, o terceiro trabalho de originais de Mac DeMarco e que chega numa nova fase da vida com a sua mudança de Los Angeles para Nova Iorque – algo que influi bastante no seu som -, foi editado à praticamente dois meses e continua a produzir belíssimos momentos ao vivo de uma macieza intimista que começa a desenhar os contornos de um registo bastante explorado pelo canadiano. Numa sessão para a Pitchfork Live, o rapaz das jardineiras que não larga o seu boné tocou dois temas do seu último disco. “This Old Dog” e “On The Level” juntaram-se numa performance envolta por uma atmosfera enevoada e à média-luz, elementos que reforçam a sensação de proximidade e na qual DeMarco veste uma pele quase crooner.