«There is a river and it flows out into nothing»… e a Suécia é assim. De tempos a tempos larga ao mundo algo de tão precioso que dificilmente alguma fronteira o pode ou deve barrar. Desta vez é Magnus Reimer, pensador milimétrico de sons e canções e artesão de maravilhas pop experimentalistas carregadas de classe, sensibilidade pouco luminosa e ao mesmo tempo reflectora do brilho de uma chama etérea num nevão… nórdico pois claro!

Apenas um single, “Throw Yourself/Tapestry” lançado ao mundo, marca a muito curta carreira de Karl Magnus Martinsson, pianista virtuoso nascido e criado numa família de músicos, musicólogo de profissão e graduado pela Universidade de Gothenburg. Agora, temos aquela que se pensa venha a ser a primeira amostra para o primeiro longa-duração do sueco, Tidal Lock, sem data marcada nem muitas mais informações em seu redor, “It Turns Out”.

Em conjunto com a arte da fotógrafa Anna Lamberg, Magnus oferece um vídeo assombroso que é o espelho exacto da ambiência vivida em torno da canção. Reminiscências clássicas das composições mais estruturadamente pop de David Sylvian, a simplicidade intrincada das linhas melódicas de Tom Waits, a texturização delicada das electrónicas de nomes como Deptford Goth ou Apparat e a energia pura das criaturas mágicas das lendas do norte.

«It turn out it’s not love I can see within me.»