… e para além disso a eles ainda se juntam Nic Cester dos Jet, Sean Payne dos The Zutons e Jamie Davis. Ao que parece, Paul McCartney também vai lá fazer uma perninha de vez em quando shhh parece que é segredo. Pronto, se isto não é mesmo um super-grupo é porque os The Jaded Hearts Club são um mega-hiper-super-grupo.

A banda formada em 2017 com o nome de Dr. Pepper’s Jaded Hearts Club Band, uma clara referência ao Sgt. Peppers dos Beatles, mostra agora a primeira gravação de estúdio e tendo em conta a vertente de celebração do passado do rock que define a sua existência, não surpreende que a escolha tenha recaído sobre uma música como “Nobody But Me”, original dos Isley Brothers de 1962. A banda fez já alguns concertos onde passa por clássicos dos anos 60 com especial ênfase na obra dos FabFour.

Sobre a escolha do primeiro single Jamie conta que:

Living in L.A. it seems like no-one has heard of Northern Soul. We just love the story of how the north of England fell in love with American soul music even after it stopped having hits, and using that music as the soundtrack to a good night out

Matt Bellamy explica a essência dos The Jaded Hearts Club assim:

I read somewhere recently, which made me laugh, that rock is the new jazz It’s becoming an esoteric genre, but still with huge historical and cultural importance. Like jazz, which often reinvents old songs, The Jaded Hearts Club is continuing the tradition of how bands like The Beatles and The Stones started out – finding great soul and blues standards and recording them in a more modern style

Para quem quiser começar já a colecção dos Jaded a banda tem à venda a gravação de um concerto no mítico 100 Club em Londres. A edição é limitada por isso… Está aqui.