O papel da arte, e em particular da música, no aliciar das mentes e dos corações para revoluções e mudanças significativas no modus operandi das mentes do globo azul, é desde há muito um elemento essencial na forma como as mensagens são passadas. Independentemente das décadas, dos géneros vigentes, das modas, dos hypes e dos conflitos serem mais ou menos físicos, mais ou menos geracionais ou mais ou menos alojados nas cavidades escondidas da genética da alma, a música não se coíbe nem se pode colocar do lado de fora das discussões, nem renegar a sua missão de marcar posições.

A música tem e sempre teve um papel formador e uma voz activa em muitas das grandes questões, pelo menos das últimas décadas do século passado, e é altamente necessária agora que o milénio já entrou em velocidade de cruzeiro e um pouco por todo lado se dá de caras com um retrocesso a erros do passado.

Sem particularizar, sem centrar a oriente, sem alvejar a habitual confederação – bom, talvez um pouco -, a ocidente, ou resgatar os modelos gastos e estafados no velho continente sem dar rostos nem nomes, a senhora do soul Mavis Staples e o homem forte dos Wilco Jeff Tweedy, juntam-se em torno de um doce e poderoso manifesto pelo amor mas com os dois olhos a olhar bem nos olhos de tudo o que rodeia o ambiente político da actualidade. Tweedy esclarece e não deixa dúvidas sobre o carácter da colaboração:

I’ve always thought of art as a political statement in and of itself—that it was enough to be on the side of creation and not destruction. But there is something that feels complicit at this moment in time about not facing what is happening in this country head on.

If All I Was Was Black é o novo disco de Mavis e é já o terceiro encontro entre Staples e Jeff depois dos discos You Are Not Alone de 2010 e de One True Vine de 2013. Um disco onde a norte-americana se envolve determinantemente no papel de lovespreader sem recorrer a qualquer tipo de sentimentos de raiva ou fúria, optando sempre por cantar o real além da mera crítica. As ferramentas são o amor e a canção. O objectivo?! A elevação do humanidade assente nas possibilidades que o amor carrega em si.

Todas as músicas do disco foram escritas por Tweedy que também produz o disco. “If All I Was Was Black” introduz If All I Was Was Black que sai a 17 de novembro pela Anti-. Mavis diz que “I’m too loving. These songs are going to change the world“. Vamos a isso, então!

If All I Was Was Black

1.  Little Bit
2.  If All I Was Was Black
3.  Who Told You That
4.  Ain’t No Doubt About It (feat. Jeff Tweedy)
5.  Peaceful Dream
6.  No Time For Crying
7.  Build A Bridge
8.  We Go High
9.  Try Harder
10. All Over Again

Mavis Staples - If All I Was Was Black

Mavis Staples – If All I Was Was Black