Os Norton estavam praticamente com um pé dentro de Heavy Light, o quinto longa-duração de originais, mas com a pandemia do covid-19 a trancar todos os planos dentro de uma bolha de tempo sem definição de tempo para fazer pop e deixar a vida ser vida novamente, viram-se obrigados a adiar o lançamento do álbum para data ainda a combinar com esse mesmo tempo.

Numa época confusa e com poucas oportunidades de efectivamente deixar a luz lavar-se na pele e esticar-se devagarinho a secar-se na alma de cada um, os Norton ajudam a olhar para o relógio sem necessidade de olhar para mais tarde. A banda de Castelo Branco escolhe 10 canções para Deixar A Luz Entrar, 10 canções que fazem parte do seu ADN, que fazem parte da história pessoal de cada um dos elementos da banda e 10 canções para clarear os dias.

Desde a inicial “Light & Day/Reach For the Sun” dos The Polyphonic Spree até à derradeira “Style It Takes” do tremendo Songs For Drela de Lou Reed com John Cale, atravessa um sentimento constante de luz, paz e esperança. Os Norton escolhem aqui uma colecção de canções para se Deixar A Luz Entrar devagarinho nos nossos dias e na sua identidade. Playlist de Spotify aqui com todos os temas para, guardar, ouvir tudo de seguida e Deixar A Luz Entrar.

“Changes”, “Passengers” e “1997” eram os singles já revelados para Heavy Light. Apesar do adiamento o disco está disponível para pré-compra no site oficial da banda – www.wearenorton.com -, nos formatos vinil, CD, cassete e digital.

Descobre também: Noiserv – Dez Canções Para Parar

The Polyphonic Spree – Light & Day / Reach For The Sun

Acredito seriamente que há canções com super poderes. “Light & Day” é uma delas. Uma espécie de sermão à comunhão. Vibro com a ideia de que se todos nós, sem excepção, com data e hora marcadas, pudéssemos ouvir esta canção ao mesmo tempo, seríamos melhores pessoas e o mundo seria um lugar, por vezes, menos estranho. Se é para deixar entrar a luz, então convidemos a banda de Tim DeLaughter a entrar em nossas casas. Mas, preparem-se, são mais de 20 músicos a acompanhá-lo.

Spiritualized – Here It Comes (The Road) Let’s Go

A estrada. Sintonizar o rádio, como o Jason Pierce propõe, meter a primeira e carregar no acelerador. Let’s go. O sol bate no vidro e o destino encontra-se onde a luz é mais forte, lá ao fundo. Não vemos a hora de nos fazermos à estrada. E antecipar muitos momentos em palco com canções como esta.

Foals – Spanish Sahara

A canção que é um grito que está adormecido e espera ansiosamente por acordar e revelar-se a este mundo como um raio cósmico de luz ofuscante, como que para nos iluminar o caminho ao estilo de uma revelação bíblica nestes tempos algo sombrios.

Sébastien Tellier – La Ritournelle

Poucas coisas têm tanta luz como o amor. ‘La Ritournelle’ é, sem dúvida, uma das mais bonitas canções de amor.

Flaming Lips – Do You Realize??

“You realize the sun doesn’t go down, it’s just an illusion caused by the world spinning round”

Arcade Fire – Wake Up

Acordar e, com os olhos bem abertos, celebrarmos cada um dos dias da nossa vida e vivê-los ao máximo, porque só temos direito a uma volta neste carrossel. E, se possível, a trautear esta melodia na companhia de todos os que nos são queridos, porque as celebrações só fazem sentido quando partilhadas.

Sufjan Stevens – Chicago

Um sentimento de despreocupação e esperança é aquilo que esta canção me transmite, com arranjos que têm tanto de metódicos como de melodiosos. Para ouvir, se possível, de olhos fechados que, por muito mal que tudo esteja, a luz no fundo do túnel vai aparecer. E ela aparece sempre, acreditem.

Death Cab for Cutie – I Will Follow You Into The Dark

Sempre (ou)vi no Ben Gibbard o dom da palavra. Sabem aqueles músicos que, de uma forma inacreditavelmente simples, nos cantam verdades e nos mostram caminhos? Se é certo que esta música nos pode transportar facilmente para um lado mais sombrio, também não é incerto pensar que é aí que, tantas e tantas vezes, encontramos a luz que procuramos.

Norton – Make It Last

Uma canção de 2010 que poucos conhecem, a primeira em que o Pedro assumiu a voz principal dos Norton. Foi escrita propositadamente para a banda sonora do filme português “Um Funeral à Chuva”. ‘Make It Last’ é uma viagem cheia de luz e esperança. É só seguir o caminho.

Lou Reed / John Cale – Style It Takes

A música tem um papel único ao juntar as pessoas. Mesmo aquelas que há muito não se cruzavam. Nesta canção, Lou Reed reuniu-se com John Cale para celebrar um amigo especial, Andy Warhol. Na perspectiva do artista plástico, os dois músicos retratam a relação de Warhol como uma das suas modelos. Ambos têm muito para dar um ao outro. Por instantes, a viola de Cale leva a acreditar que a luz dos Velvet Underground afinal não se tinha apagado.