Seja lá com quantas rodas a cidade se mover, os Madrepaz certamente vão a flutuar. Oriundos de um horizonte distante, vincando pela torra proporcionada pelos raios de um sol bem cósmico e um ar que em tudo respira civilização perdida e jornada infinita, o grupo faz a sua jornada pela deambulação, trazendo consigo um ritmo tropicante, guitarradas molhadas e mantras vocais que se espreguiçam pelo ar. Depois de se revelarem em edição com o single “O Sol Amarelo”, entretanto incluído na colecção deste ano dos Novos Talentos Fnac e na calha para um concerto no Festival Termómetro, os Madrepaz trazem “Novas Pontes” e adornam-nas com um vídeoclip correspondentemente místico.

No meio da sua circularidade que se move simultaneamente como uma homenagem às sonoridades mais artesanais e manda a dica para os ritmos mais modernos, “Novas Pontes” é um tema de embalar, serpenteando em direcção a um refrão saltitão e espacial através de um bosque orvalhado cheio de labirínticas guitarras e vagarosos motivos. Alicerçados num som quente, de ritmo confiante e extremamente relaxado, os Madrepaz expandem a via cíclica do seu som com um vídeo igualmente tântrico, cheio de rituais visuais e xamânicas metáforas que certamente irão ser parte integral de Panoramix, o disco de estreia.

Por agora há “Novas Pontes”, mas entretanto, nesta semana, os Madrepaz irão estar no Sabotage Club dia 18 no âmbito do Festival Termómetro.