Em 2014, os Sylvan Esso de Amelia Meath e de Nick Sanborn colocaram-se logo ao primeiro disco como um dos nomes mais interessantes, dotados que são de uma capacidade de leitura sobres os manuais de história do synth mais fresca e revigorante dos últimos anos. O disco homónimo partia das fórmulas tradicionais do synthpop mas aventurava-se simultaneamente pelos caminhos experimentais do breakbeat, da melancolia do trip-hop e com o paisagismo mais ou menos dançável que a electrónica no geral permite. Fica na memória de quem passou por Coura em 2015 como um dos grandes momentos do festival no Palco Vodafone FM.

Três anos mais tarde, Meath e Sanborn encontram-se novamente em disco na procura de novas imagens sonoras e editam em abril passado What Now pela Loma Vista Recordings, um disco sobre o amor nas mais variadas formas que a banda reveste de elemento essencial à criação de som, embora o apresentem como um trabalho que dança na linha estreita entre o pessoal e o político. Os primeiros vídeos retirados de What Now tinham sido “Kick Jump Twist” e “Die Young“, ambos com o bailarino Gary Reagan, e “Radio” que antecederam o trabalho visual que é agora lançado e que recai sobre “The Glow”.

Uma história suburbana sobre amor e euforia, sobre a dança e a memória, sobre a vida nas margens e os sentimentos absorvidos através da música. Pelas palavras de Amelia Meath em conversa com a NPR,

…it’s a song about being lifted off the earth by music — a feeling that I was so used to when I was 14 and which I am constantly reaching towards and trying to create as a musician. I miss it and I’m worried that it’s happening less and less. I want to give it to other people.

Fica em baixo o vídeo para “The Glow” realizado por Elise Tyler, e a recordação de “Coffee”no Vodafone Paredes de Coura em 2015.