Passemos então, e parafraseando Ryan Adams, ao momento Nickelodeon do dia com curadoria a cargo dos alt-J. Os britânicos, que estiveram no fim-de-semana passado em Lisboa como parte do cartaz da última edição no NOS Alive, dão mais um vídeo a Relaxer, o seu terceiro registo de estúdio editado há pouco mais de um mês. E apesar das acusações mais ou menos cartoonish de um dos novos heróis do rock, a verdade é que os alt-J têm elevado a fasquia, pelo menos mas não só, no que respeita aos pequenos grandes pedaços de arte visual que têm imputado aos temas que vão retirando do disco.

Tal como aconteceu no dramático vídeo para “3WW” e no asfixiante vídeo para “In Cold Blood”, a representação cinematográfica para “Deadcrush” assemelha-se mais a uma curta-metragem presente num qualquer festival de cinema que abre com movimentos giratórios de câmara e sons surdos e tensos como se viessem do fundo do oceano como pano de fundo a uma sucessão de acções operadas por uma maquinaria futurista e tecnologicamente avançada accionada com uma missão em mente. O vídeo foi inspirado pelas paixonetas artísticas – platónicas ou não -, dos três membros da banda por mulheres famosas já falecidas: a poeta e escritora norte-americana Sylvia Plath, a rainha britânica do século XVI Ana Bolena, casada com Henrique VIII e a fotógrafa norte-americana Lee Miller, que viveu no século XX e cujos trabalhos fotográficos se inseriam numa corrente surrealista.

Com coreografia da responsabilidade de Darcy Wallace e realização a cargo dos Young Replicant – que tinham já realizado o vídeo para “3WW”, “Deadcrush” pega num conceito literal em relação ao título mas transpõe-o para um cenário pós-apocalíptico e sombrio purgado no final pela chuva. Relaxer saiu no dia 2 de junho pela Infectious Music.