E agora, para algo completamente novo, eis que surge o Indieota FESTAval. Pois é, o nome já sugere algumas interpretações, mas tudo surgiu quando Luís Teixeira procurou levar para o Montijo algumas das suas bandas preferidas. A ideia é bastante ambiciosa e desafia as leis da gravidade, mas poderia parecer, também, algo impossível de realizar sem muitos fundos ou condições logísticas, ainda que o conceito seja, sem sombra para dúvidas, promissor.

Luís recrutou, mais tarde, dois colaboradores. Catarina Soares, estudante de Comunicação Social, veio ao encontro de um projecto que a aliciou pela sua energia contagiante e pelo facto de Luís ser incansável com os esforços para levar avante este bonito empreendimento. Neste sentido, duas cabeças a agir e a pensar em conjunto são melhor que uma e assim conduziram esta concepção para caminhos mais realistas.

Deste modo, e várias entrevistas e reportagens mais tarde, este festival ou festa, como preferirem, resulta da resistência destes indivíduos e no desejo insuperável de conseguir criar algo distinto e sem recorrer a grandes patrocinadores ou mecenas. Que esta seja uma lição para todos aqueles que sonham com projectos desta envergadura mas que os colocam imediatamente de parte por julgarem ser impossível a sua execução. Por outro lado, o Montijo Sound permitiu sempre a difusão da produção musical conterrânea, dando também ênfase à criação na margem sul, que produz muito e com qualidade. Um hino de força às comunidades locais que apoiam a produção criativa e musical dos indivíduos naturais da terra e que não deixam que a sua ambição emigre.

Foram mais de 25 bandas, entre dois palcos, em pleno Montijo e perante alguns bares em sintonia com o movimento, que nomes importantes da música tiveram espaço e tempo para actuação, ainda que com uma logística humilde e discreta. O motto do grupo, como não poderia deixar de ser, vem da garra do DIY e isso aplica-se em todos os níveis do projecto. A comunidade local prestou o seu apoio, bem como algumas editoras e agências espalhadas por todo o país: a Spring Toast Records, a Xita Rercods, a Pontiaq ou a Pointlist, por exemplo.

Raquel Lains e a sua promotora discográfica Let’s Start a Fire amadrinharam o Indieota e, por essa razão e tantas outras, temos em mãos um cartaz bem composto, sempre em nome da música alternativa, daquilo que se pronuncia à margem e fazendo um brinde ao bom underground de assinatura portuguesa. É bom ver que em pleno 2016 estas vontades não estão extintas.

O bilhete tem um custo simbólico de 5 euros, o que permite a entrada nos três dias do festival. Não encontram no ‘mercado’ nada com estas características, pois não? O bonito cartaz conta com Mariana Charrua no design e todos os custos do Indieota serão cobertos pelo Montijo Sound, sem qualquer tipo de ajuda financeira exterior,  nem da própria Câmara Municipal da cidade. Esperemos que não se arrependa. A Antena 3, em nome da criação de música portuguesa, também apoia o projecto.

Os jovens organizadores apelam ainda à divulgação do projecto do festival, e respectivo cartaz, por todos os meios, independentes ou não, que queiram ajudar a passar palavra. A divulgação, nestes contextos, tem uma forte responsabilidade no sucesso do projecto. Quem tem boca vai, definitivamente, ao Indieota. É importante partilhar e defender este género de iniciativa que, em tudo, é de louvar.

Como podemos ler no site do festival: 100% independente, organizado em casa, resolvido no palco. Um belo presente do panorama alternativo e indie português. Teremos à disposição três palcos espalhados por toda a Praça da República e ainda nos arredores do Montijo para os devotos e aficionados do indie, electrónico, punk, experimental, psicadélico, progressivo, pop ou do cocktail de todos esses géneros. Pista, The Sunflowers, Ditch Days, 800 Gondomar ou Mighty Sands são alguns dos grupos a que poderemos assistir ao vivo. Coloquem bem os olhos neste cartaz e absorvam a sua riqueza de barriga cheia!

Marquem já na agenda, pois não falta assim muito tempo: 8, 9 e 10 de Setembro tudo pára no Montijo. Esperemos ir lá parar, também. Cliquem no poster e visitem o site do Indieota:

IndieotaFESTAval Poster

IndieotaFESTAval Poster