É ténue a linha que separa a aparente fragilidade de Alexandra Savior do seu mundo melódico repleto de suspense, um mundo continuamente revelado por meio de temas como “Mystery Girl” e “Girlie” em momentos passados, e agora pela mais recente “Vanishing Point”, música retirada de Belladonna Of Sadness, o álbum de estreia da norte-americana a sair a 7 de Abril via Columbia Records.

A jovem de apenas 21 anos reuniu rapidamente um coro de vozes à sua volta em aclamação uníssona após a presença de Alex Turner dos Arctic Monkeys e dos The Last Shadow Puppets numa das suas apresentações ao vivo no The Hotel Café em Hollywood em Maio de 2016; contudo, o nome de Alexandra aparecia já cunhado em diversos temas de Turner desde 2014, inclusive no mais recente álbum dos TLSP – “Miracle Aligner” foi escrita por ambos.

A voz firme de Alexandra, decorada com laivos de diva do rádio, rodeia-se de uma melodia tensa de um fino tom misterioso que versa sobre uma personagem fictícia pensada e composta pela própria. Ainda que jovem, Alexandra sabe para onde quer ir e o que não pretende ser; é a menina que não se adequa à movimentada Los Angeles e ganha espaço e confiança em apresentações pela Europa, ao mesmo tempo mostra-se dedicada e afinada em mostrar que suas cores são mais densas e profundas do que as cores cintilantes que desenhavam para ela. Numa entrevista à Interview, Alexandra confessou:

When I was 16 I went to a record label … I did a showcase and sang them three of my songs. Afterwards they sat me on a stool and asked me, ‘Do you want to be like Pink or Katy Perry?’

Alexandra colaborou já com nomes como Tame Impala e Cam Avery, para além de ter participado em álbuns dos The Last Shadow Puppets e dos Hamilton Leithauser e actuou em nome próprio no prestigiado SXSW no Texas durante a semana que passou.