E é assim que se agarra a atenção de alguém pela primeira vez. Injustiça seja feita mas a quantidade de referências que estes novos Tokyo Taboo (nome mais que perfeito para uma banda de hard-rock de Hollywood) carregam em si são tantas e tão boas que é impossível não discorrer sobre um sem número de nomes que só faz aumentar a curiosidade em conhecer mais sobre o duo londrino.

Os Tokyo Taboo são Dolly Daggerz e Mike (simplesmente assim). São punk do bom, são bubblegum pop do melhor, são trashy e glam. Dolly é a irmã perdida de Karen O, a filha bastarda de Nina Hagen, a evolução genética de Helen Hill dos Violators, é Katie White dos Ting Tings a querer fazer o rock’n’roll ter mais rock que dança mas a dançar ao som dos Blondie, White Stripes e dos Transvision Vamp… e até das meninas russas t.AT.u. e dos Kiss. Ainda não chega?! Então como Leech, o EP novo, só sai em Novembro avançamos para o vídeo de apresentação para este que é já o terceiro volume na curta carreira dos Tokyo Taboo.

Nascidos em Janeiro de 2013 depressa quebraram os tabus e em pouco tempo estavam um pouco por todo o lado no circuito verdadeiramente indie britânico e a esbarrem com Adam Moseley (The Cure, Beck, John Cale) e Jim Lowe (Stereophonics, The Charlatans, Herbie Hancock) que os levam para estúdio, gravam dois EPs e rapidamente estão a esgotar salas lendária também em Los Angeles como o Whisky A Go Go e o Viper Room.

Dificilmente vão passar despercebidos aos olhos do resto do mundo durante muito mais tempo. Porquê? Porque os Tokyo Taboo são “Bubbilicious”.