O nome Nicholas James Mallins dirá muito pouco a quase todos mas se o traduzirmos para a voz das canções dos Mutineers, que cessaram actividades no decorrer de 2014, talvez já apele às memórias de mais alguns.

Nicholas James ressurge agora em nome próprio deixando para trás as guitarras indie que tanto bebiam da inspiração dos Glasvegas, The Courteeners e dos clássicos The Smiths para mergulhar nas águas pacíficas da electrónica. Mais contemplativo e paralelamente mais cheio de batidas vivas e pulsantes a trazer, a espaços, a nostalgia sintéctica dos islandeses Gus Gus em início de carreira à lembrança neste “If I Were King”, o novo tema do mancuniano que tanto plana nas ambiências dream para as pistas de dança em OZ como mergulha profundamente em estruturas pop absolutamente delicadas e irrepreensivelmente trabalhadas ao detalhe.

“If I Were King” é o primeiro andamento de um trabalho tríptico intitulado Le Rebutant a ser editado digitalmente a partir de Março e vem acompanhado de um soberbo vídeo de Dan Huiting (Bon Iver, St.Vincent) gravado durante um mês nas paisagens inspiradoras, poderosas e místicas da Islândia selvagem fazendo par com a natureza da canção de Nicholas unindo-as como se um novo elemental nascesse entre as linhas de piano e os poemas de renovação e ressurreição do eu escritas por Nicholas James Mallins.

You’ve never been a lover if you’ve never been true.

alec peterson sig