Para que se mantenha a tradição, o Vodafone Mexefest oferece ao público mais três nomes para um cartaz que se encontra já bastante sumarento. São já várias as confirmações reveladas num cartaz que, inusitada e infelizmente, deixou de contar com os tons quentes da soul de Charles Bradley & His Extraordinaires por motivos de doença do cantor. Nesta leva são Whitney, King e Joana Barra Vaz os nomes que irão animar a Avenida da Liberdade.

Os Whitney vêm de Chicago e rumam à capital portuguesa onde vão pintar a Avenida com um indie rock e um pop algo psicadélico, na certeza de que com Light Upon the Lake, disco de inauguração lançado em Junho passado, o público ficará de barriga cheia, como aconteceu já este ano no Vodafone Paredes de Coura. São já algumas comparações entre a banda e Bon Iver, por exemplo, embora com a receita ideal do panorama musical de Chicago. O álbum recebeu críticas maravilhosas e o grupo assinala, então, a estreia numa digressão europeia. Se não tiveram o prazer de ver este colosso ao vivo na vila de Coura, venham conhecer Max Kakacek, Julien Ehrlich (ex-baterista dos Unknown Mortal Orchestra), Josiah Marshall, Will Miller, Malcolm Brown, Print Chouteau e Charles Glanders.

King, o trio feminino composto por Anita Bias, Paris e Amber Strother, começou a aventura musical oficialmente em Fevereiro deste ano, mas não é pela verdura que se mede o talento. De Los Angeles trazem um r&b alternativo com o apoio de Erykah Badu e de Questlove, dos The Roots. O disco We Are King marcou a sua estreia, com toda a pompa e circunstância que merecem, e esperamos ouvi-lo em alta definição no festival. Façamos então um novo brinde aos sons do r&b e hip hop que tão bem têm desenhado o cartaz do Mexefest.

Mais um nome português para o festival, desta vez com Joana Barra Vaz. Com o álbum Mergulho em Loba, divulgado em Setembro, Joana, professora de música, é ainda co-fundadora do arquivo web do projecto ‘A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria’. O disco surge na continuação da trilogia f l u m e, e sucede a Passeio pelo Trilho, de 2012. Pela língua portuguesa, e com poemas que tornam a alma mais saudável, embrulhados em folk-pop e com a uma dose de electrónica bem apurada, o mar ocupa aqui um pódio indesmentível.

Cada vez mais colorido e diversificado este Mexefest. Relembramos que o festival acontece ao longo da Avenida da Liberdade nos dias 25 e 26 de Novembro.

Vodafone Mexefest 2016

Vodafone Mexefest 2016