Os britânicos Autobahn regressam com enorme poupa e circunstância atravessando fronteiras nas autoestradas post-punk do grandioso e tenso “The Moral Crossing” e mostram também que este tempo de espera os levou a crescer enquanto banda.

Em 2015, os rapazes de Leeds mostravam ao mundo que a cena post-punk com pitadas de hardcore e agressividade extremas – a beijar os pés a uns The Birthday Party machados de Bauhaus -, estava de boa saúde. Os Autobahn aproveitaram assim a onda dos compatriotas The Horrors ou TOY na continuidade dessa fornada de bandas que dominam as ondas mais introspectivas da música, revelando simultaneamente novos caminhos partindo de uma base que contém os ensinamentos dos grandes clássicos do género.

The Moral Crossing é mais do que uma evolução enquanto banda; é o exemplo da procura por atingir o melhor som que desejam e gostam. O single homónimo é o primeiro resultado, e revela-se como desafiante e volumoso. Uma bolha crescente, turbulenta e menos dissonante, e que ao mesmo tempo, provoca calafrios, encontrando o lado menos apático e mais melancólico da relação com a música. Já se começam a sentir novas abordagens no resultado criativo dos Autobahn, uma nova veia exploratória e que, certamente, terá enriquecido o disco em relação aos anteriores.

A marcha vitoriosa de The Moral Crossing sai a 3 de Novembro pela Tough Love Records e Felte nos Estados Unidos. O disco traz dez músicas e tem o mesmo nome do single de avanço. O alinhamento pode ser conferido em baixo.

The Moral Crossing
01. Prologue
02. Obituary
03. Future
04. The Moral Crossing
05. Torment
06. Low/High
07. Execution/Rise
08. Creation
09. Fallen
10. Vessel

Autobahn - The Moral Crossing

Autobahn – The Moral Crossing