Os Phantogram revelaram o novo tema “Run Run Blood” que, após a irritada “You Don’t Get Me High Anymore“, confirma que o próximo álbum, Three, anunciado para 16 de Setembro, terá um som mais agressivo e menos lúbrico que os anteriores.

Não é só a mudança drástica no cabelo de Sarah Barthel (agora loiro e ondulado); é mesmo um disco sonoramente mais rude que em “Run Run Blood” integra beats e efeitos hip-hop com o dubstep e uma parte declamada por Josh Carter – não cantada por Sarah -, e também liricamente mais político. Josh sintetizou assim sobre a canção:

is about the sad state of the world we live in today. It feels like the blind leading the blind sometimes.

Vem aí, com certeza, algo claramente distinto de Voices de 2014, e as imagens escolhidas para ilustrar “Run Run Blood” e a capa de Three sugerem que será inflamável. Talvez o melhor seja mesmo esquecer que os Phantogram nos habituaram a um som de sedução e apreciar “Run Run Blood” por aquilo que é: uma potente malha electrónica com uma letra que veicula conteúdo social e uma opinião política. Uma excelente produção, sonoramente complexa, repleta de camadas e efeitos, para escutar em bass boost!

Os Phantogram estrearam ainda no domingo mais uma música. Foi em palco no House of Blues em Chicago e chama-se “Cruel World”.