Parece quase impossível como nestes tempos de internet onde nada é inacessível, nada é segredo – claro que é, mas as possibilidades de não ser seriam imensas – e de tudo se sabe, alguém consiga manter-se em silêncio e nas sombras e lançar um disco sem que se saiba nada, nem faça qualquer promo antes. Disco novo de Owen Pallett saído hoje. É isso é, sem aviso, sem manobras de marketing e com a música a valer pela música, o músico canadiano edita Island, o seu terceiro álbum de originais em nome próprio.

Acompanhado vem ele, de um single e de um vídeo realizado durante a pandemia por Vincent René-Lortie e coreografado por Brittney Canda. Um trabalho que Pallett precisou de ser convencido a mostrar pelo director do vídeo,  pois temia que pudesse ser visto como pornographing the quarantine.

Sobre o clip, Owen acrescenta ainda que:

I was floored. I couldn’t believe how cathartic it was to see the video, how perfectly it fit the song, and how meaningful and necessary it was for me to see it when I did.

Island sai quase 6 anos depois de In Conflict – lançado a 27 de Maio de 2014 -, mas por agora existe apenas uma edição digital, indo depois ganhar corpo mais para o final do ano com a edição física com selo da Domino Recording Co. e a Secret City Records em território canadiano.

Island
01. —> (i)
02. Transformer
03. Paragon Of Order
04. —> (ii)
05.The Sound of The Engines
06. Perseverance Of The Saints
07. Polar Vortex
08. —> (iii)
09. A Bloody Morning
10. Fire-Mare
11. Lewis Gets Fucked Into Space
12. —> (iv)
13. In Darkness
14. Paragon Of Order (version)
15. Fire-Mare (version)

Owen Pallett

Owen Pallett – Island