Em passagem por Berlim Pete Doherty gravou, ao lado de sua trupe instrumentista, uma série de canções para a Cardinal Sessions, cuja missão reside em tornar filmagens de carácter geral e impessoal em captações de imagens emotivas e imediatas em locais como parques, edifícios abandonados, florestas, ou simplesmente em ruas movimentadas.

Nesta sessão para a Cardinal, Pete apresentou “I Don’t Love Anyone (But You’re Not Just Anyone)”, canção que faz parte do seu segundo álbum a solo intitulado Hamburg Demonstrations lançado em Dezembro do ano passado. O ambiente country-folk penetra pela canção fazendo-a florescer nos xilofones, na percussão nascida das paredes, na acústica da viola e do violino aliada às palmas e ao pequeno terramoto formado pela sonoridade crescente do bater do pé.

Em “When The Lights Go Out”, do álbum Grace/Wastelands de 2009 , a euforia cede lugar a uma doce melodia, uma balada folk que faz desabrochar um Pete contador de histórias musicadas pelas cordas da viola e alinhavadas pelo embalo estival do violino mesclada em “Albion”, tema do disco Down In Albion de 2005 dos Babyshambles com o acompanhamento do violino de Miki Beavis e harmónica de Katia DeVidas. A alma nostálgica na sua vertente mais sincera e de coração aberto, Pete presta homenagem ao amigo e colaborador Alan Wass – que viria a falecer de ataque cardíaco aos 33 anos em 2015 -, em “Hired Gun”, a última canção apresentada para a Cardinal, e a mesma canção que Pete cantou ao lado de Alan em Berlim anos atrás num raro registo.

Pete Doherty segue em digressão pela Europa com o seu trabalho solo e deve aterrar na América do Sul a 24 de Maio com a sua primeira apresentação a decorrer na cidade de São Paulo. As misturas que definem e compõem a natureza inconstante do poeta e guitarrista britânico podem ser efusivas, românticas ou nostálgicas, contudo a naturalidade de Pete nas suas performances não seguem roteiros, e o improviso é a arte que Doherty segue para actuar e por que não, de viver.