For the english version, click here.

Só algo tão intenso como o fogo ardente, marca desta forma. Há algo tão belo na descoberta de identidade musical de alguns artistas, que provocam e deixam sensações de ternura e familiaridade em quem acompanha a busca constante, o crescer constante desses criadores de canções. E esse movimento é claramente observado no percurso das metamorfoses de Matthias Peyker aka A Thousand Fuegos, que se iniciou a solo no mundo das edições, em 2007, com Like Big Black Clouds Through Burning Eyes, – anteriormente apenas um split com Liger – e logo aí colocou a sua música num patamar de maravilha e fantasia um pouco mais elevado que o plano de existência do comum dos mortais. Daí em diante um processo de adaptação a si próprio e de reconhecimento das suas profundas entranhas e foi se polindo.

Em 2011 percebemos que A Thousand Fuegos nos estava a preparar para uma nova dimensão através de “The Great Pretender”, editado em split single com os Black Fox Tropikal na Willhelm Show Me The Major Label. Ao passo que se foi instalando na sua personalidade e arte própria foi deixando mais tesouros pelo caminho e em 2012 através da editora austríaca Seayou Records, ofereceu-nos The Treachery of Things, seguiu-se o arrepiante single “Movement 1 (Love As Passion)” e o disco This is Evolution Pt.2 – uma só composição, quase 40 minutos, absolutamente penetrante -,  assim como dois vídeos elegantemente visuais para estes últimos.

Habituados a este jogo de mini-curtas metragens, em bungee jumping de imagem em imagem, de brincadeiras geométricas em modo “raw artsy”, o músico austríaco não desaponta e absorvidos pela estética e por toda esta panóplia de cruas emoções, onde Matthias se pronuncia como o maestro de corpos e almas adormecidas chega um novo vídeo e com ele um novo realismo. “Movement 2”, trata de um acutilante e doce enredo, contornado com o degradê de imagens em 3d, acompanhado de um zoom box central onde deslumbra com várias surpresas. São elas as aparições de animais como cavalos, cabras, vacas, um cachorro ou uma cobra digital.

Para relembrar que o mistério faz parte da sedução, A Thousand Fuegos, deixa-nos vidrados, mais uma vez.

The purpose of her own existence
was to put the lives of others across.
It wasn’t her intention, to open up a world through symbols, to transcend,
everything should be revealed,
even the moment of deception.
She was an interested silhouette
of the individual or particular stories
of people around her,
She was their predetermined parts.
Their past, their situation, their freedom
and the resistance nature set against their mind.
She revealed what otherwise would stay unseen
or else: opaque.

O xamã austríaco faz entrar noutro mundo sem pedir a devida autorização: fala da realidade, da espera, da ânsia de viver, da ânsia de não viver. É este choque de imagens que faz com que Peyker seja uma das nossas descobertas de 2016, com a sua inovadora demonstração musical, firmemente devoto ao seu propósito de picar com agulhas as mentes. Sem dúvida alguma que resulta. “Movement 2” transcende e deixa a audição a balouçar pelas suas ideias existencialistas – I want to be with you everyone – ao passo que um texto sôfrego de intensidade é legendado diante de nós. Esta obra-prima nasce pelas mãos e intelecto de Peyker, realizada pelo mesmo, com a ajuda de Phillip Hohenwarter. Estranhezas e belezas como esta, não se podem desperdiçar. Aqui, para vocês, a Premiere do glorioso “Movement 2 (il nuovo realismo)”.