Os Preoccupations não devem ter criado no seu laboratório post-punk o antídoto para as tonalidades post-punk que lhes costumam colorir as guitarras, mas conseguiram pelo menos esbatê-las e ao mesmo tempo fazer alastrar uma negritude assente numa percussão matematicamente precisa, repetitiva e quasi-tribal quasi-industrial, que não lhes sendo absolutamente característica, também não destoa completamente do seu restante cancioneiro.

Não tão enevoada como o legado que deixaram enquanto Viet Cong e bem longe das reverberações trémulas de várias guitarras deixadas no anterior “Espionage” – o primeiro tema de avanço para o próximo álbum do quarteto -, “Antidote” explora novas fórmulas de som e abre um pouco a caixa em que regra geral se encontra encurralado um post-punk hermeticamente bem selado.

O que o novo tema dos canadianos regista em monotons sonoros e numa constância que se revela praticamente imutável ao longo dos quase seis minutos de duração, compensa abundantemente em termos visuais numa representação narcótica, psicadélica e alienígena que se abandona a um caos visual multicolor na segunda metade, após um início que mostra a banda em delay monocromático.

“Antidote” é a segunda amostra para New Material, o segundo álbum editado pela banda sob a insígnia Preoccupations e o terceiro de uma carreira começada como Viet Cong. O longa-duração será editado via Jagjaguwar a 23 de Março.