A luz da primavera de Occult Architecture Vol. 2 volta agora em “Sevens”, o novo single do próximo álbum dos Moon Duo. Prestes a ser editado a 5 de maio deste ano pela Sacred Bones, esta segunda parte apresenta o sentimento dispar e mais soalheiro da quarta obra de estúdio da dupla norte-americana.

Esta nova face de Occult Architecture vai sendo descortinada com o lançamento da faixa “Sevens”. A promessa de contrastar a luz e a escuridão – que se compara conceptualmente à noção de yin e yang -, começa a ganhar forma. Depois de ouvirmos o primeiro single “Lost In Light”, o segundo vislumbre do disco cumpre a onda complexa e mais exultante do psicadelismo de Ripley Johnson e Sanae Yamada.

Sem grandes demoras, “Sevens” começa com o habitual mas nunca aborrecido jogo entre bateria e teclados típicos de uma musicalidade que nos ascende lentamente. Tudo isto para nos levar, com uma espera certa, para um estonteante solo de guitarra de Johnson. A forma como os Moon Duo não se deixam cair no repetitivo é notória, e resulta sempre em faixas com as doses certas de tudo aquilo em que são mestres. A composição é mais ritmada do que nos temas de Occult Architecture Vol. 1, o que faz acreditar numa passagem mais pura e esperançosa para um lado extremamente alegre da psicadelia sonora. Talvez nesta maneira de estudar detalhadamente as origens das suas arquiteturas musicais, surgirá um dos melhores trabalhos dos Moon Duo.

A grande digressão da banda de Portland pela Europa passa por Portugal no Festival Vodafone Paredes de Coura no dia 18 de Agosto deste ano. Resta-nos esperar para sentir a integralidade de Occult Architecture e ouvir a dualidade estacional nas margens do rio Coura.