Trentemøller volta a entregar uma ode bipolar ao movimento pendular que carrega na sua obra. Inegavelmente singular é a forma como aborda os valores máximos do post-punk, revestindo-os de um futurismo electrónico tão reminiscente do que era, do que é, e de como um género deve ser abordado no amanhã. A história é sempre um amanhã visto num ponto tardio da existência, não é?

Tal como em “River In Me”, o tema que apresentou ao mundo o quarto registo de originais do mestre do negrume sintético dinamarquês, é a voz de Jehnny Beth das Savages que nos encaminha história adentro para reconhecer o desespero do amor que morreu e do desespero insano que tantas vezes é um terceiro vértice de tantas histórias pseudo-românticas. “Complicated”, o terceiro single/vídeo retirado de Fixion, oferece a banda sonora para o também terceiro volume da trilogia videográfica de Åsa Riton e Andreas Emenius assente nos paradigmas do disco de Trentemøller. Intrincado e desesperante, complexo e críptico, negro, sempre negro mas melodicamente sensual, melancolicamente sexual e inspiradoramente contemplativo.

Todo o processo de partida, toda a preparação do mesmo processo visto de um ponto de vista ritualistico, bizarro e de tonalidades cinza suburbanas. Do novo penteado ao ginásio até à destruição final. Trentemøller fecha, assim, o tríptico iniciado com “River In Me” e que passou pelo subversivamente quente e reflexivamente kinkyRedefine”. Fixion foi editado em Setembro pela própria editora de Anders Trentemøller, a In My Room.