É preciso vir um vídeo a preto e branco para provar que nem uma película monocromática consegue desbotar os borrões cor, a electricidade quase bélica e o caos sonoro encastelado num tornado de sintetizadores que costumam constituir a matéria-prima sonora dos Everything Everything e que já insonorizou três discos.

Parte de A Fever Dream, o terceiro registo de estúdio dos britânicos lançado em agosto e que parece ter passado meio despercebido entre as férias, a praia e a torrente de festivais – ironicamente teria dada uma belíssima banda-sonora para latitudes temporais mais quentes como sempre tem acontecido com todas as coisas Everything Everyhing -, “Night Of The Long Knives” pega na sua titubeante expressividade art-electro-pop e converte-a em imagens igualmente profundamente eloquentes da semântica sonora que instiga o processo criativo da banda.

Captado em estúdio com pequenas sequências dos vários elementos da banda videografadas por entre a estática tão característica das películas de filme das cassetes VHS, o vídeo é o mais recente produto dos mancunianos que com este disco, não mexeram um milímetro da sonoridade quirky e de tendência mais dançável que sempre fabricaram.

A Fever Dream foi lançado a 18 de agosto deste ano pela RCA Records e os Everything Everything trazem-no a Lisboa já para o mês que vem. A banda foi hoje confirmada no cartaz do Vodafone Mexefest junto com o português Moullinex que lançou no princípio de outubro o terceiro registo de originais Hypersex, e com a frente luso-britânica comandada pelo inglês Barnaby Keen e pelo português Benjamim. O disco colaborativo, 1986, saiu em maio deste ano.