O quarteto de Manchester chamado PINS tem-se feito notar com a sua lufada vibrante de cor e atitude nos tempos sombrios que se têm posto recentemente. Nascidas sob o seio da vontade da fotógrafa de moda Faith Holgate em criar uma banda predominantemente feminina com queda para o riff tilintante e o rock cheio de ginga que se ri na face do perigo e sem fazer questão de andar sempre limpo, as quatro explosivas têm-se movido desde 2011 nos meandros de um rock de garagem intimamente comprometido com o legado pop.

O combo de simplicidade feroz e directa com a estrelinha brilhante de uma personalidade vincada e colorida já as trouxe para a estrada com as Sleater-Kinney, com as quais se poderão traçar alguns pontos em comum no aguerrido e descomprometido tom com que agarram as suas canções e levou-as a assinar pela prestigiada Bella Union onde, de resto, já descansam as suas Wild Nights, segundo longo registo editado em 2015. Agora, no início deste ano, uma nova fase se aproxima com o agendamento do EP The Bad Thing para 24 de Março. “Aggrophobe” é o primeiro avanço e vem com honras de colaboração especial da parte do imortal Iggy Pop, rebuçado-surpresa de uma canção bem tingida de tons quentes e confiantes a sair da electricidade feminina do grupo, distribuídas em iguais doses de guitarra irrequieta e portentosa percussão.

Trazido a bordo desta viagem para uma participação em formato spoken word e para dar uma ajuda no refrão, Iggy Pop entrega o seu registo clássico após a banda lhe ter perguntado (através de managers amigos entre eles) simplesmente se queria participar. Tal qual foi a maneira anti-burocrática como nasceu e se consumou o pedido, “Aggrophobe” é uma malha sem pretensões que viaja de forma unidireccional pelas ruas cheias e barulhentas de uma metrópole americana à medida que a abundância de “choices” e “opções” não assustam mas intensificam a adrenalina de viver. Entretanto, e por agora, apenas residem duas escolhas: ouvir ou não ouvir. A canção encontra-se já disponível e aqui abaixo portanto, não parece haver grande dilema. Já The Bad Thing ainda se fará esperar já no berço da Primavera, a 24 de Março.