O já mitológico festival de música underground regressa em 2016 para uma terceira vida nos bem mais frescos dias 8, 9 e 10 de setembro e trata de, novamente, ensaiar um desfile de nomes que melhor representam aquilo que se faz no doom, no psych e na música pesada actualmente.

O primeiro conjunto de artistas já foi revelado e compõe-se como uma mistura entre nomes fundadores e projectos em afirmação. Assim, estão previstas para actuar nas margens psicadélicas do Tejo, entre muitas outras, bandas de culto como Killing Joke, Ozric Tentacles, Silver Apples, Yawning Man, e novos projectos como With The Dead e Papir, juntamente com Farflung, Space Ritual, Radar Men From The Moon, Zone Six e Oresund Space Collective.

Surgindo com o óbvio destaque de cabeça de cartaz, os Killing Joke são uma banda pioneira do post punk industrial, altamente influente na cena britânica da década de 80 que ergueu gentes como Echo & The Bunnymen e The Cure. De volta a Portugal para apresentarem o mais recente LP Pylon, os históricos ingleses certamente irão conjugar a novidade com a força da nostalgia de uma vasta carreira.

Entretanto, os Ozric Tentacles vêm contrabalançar a penumbra poluída dos Killing Joke com o seu rock psicadélico extremamente exótico. Formados nos anos 80, onde lançaram uma série de álbuns em cassete (estreando-se nas edições oficiais apenas a partir de 1990), os também britânicos são uma numerosa formação de multi-instrumentalistas inspirada em bandas como Gong e Hawkwind que faz a sua espécie muito airosa de prog rock.

Nos campos mais pesados estão os With The Dead, novatos que não são assim tão novatos, uma vez que o projecto, que lançou em 2015 o seu primeiro álbum homónimo, é a mais recente criação do frontman de Cathedral, Lee Dorian, com os ex-membros de Electric Wizard, Mark Greening e Tim Bagshaw. Tendo em conta estas raízes genealógicas, será muito fácil adivinhar que tipo de sonoridade sairá desta muito bem recebida banda de doom, que se estreia em Portugal no festival.

A destacar também é a vinda dos seminais Yawning Man, banda de stoner/desert rock extremamente importante para a formação da notória cena californiana de Palm Desert, de onde vieram os Kyuss, Fu Manchu, entre outros. Um pouco mais cálidos e contemplativos do que alguns dos projectos que inspiraram, os Yawning Man estendem-se em alongadas e relaxadas jams que tanto conseguem falar ao punk como ao prog, sendo uma das bandas mais versáteis dentro do género.

Há ainda o regresso de Nik Turner (da fama Hawkwind) ao festival, com a sua banda Space Ritual, e as Papermoon Sessions, que acontecem apenas pela segunda vez no Reverence (tendo sido a primeira no Roadburn) e que juntam as bandas dinamarquesas Papir e Electric Moon (que de resto, deram um dos melhores concertos da passada edição). O passe geral para o Reverence Festival Valada está assinalado nos 55€ até dia 30 de abril, sofrendo subsequentes alterações de preço até 1 de setembro, onde ascende para os 80€.

VALADA Fest 1