Não é de hoje que projetos eletrónicos vão em busca de vocalistas do soul para humanizarem as suas produções; exemplos recentes e bem sucedidos disso são os Disclosure com Mary J. Blige, ou até mesmo o mais recente Gorillaz com Benjamin Clementine. Entretanto, a inclusão de Sampha no projecto do produtor britânico Richard Russell sob o heterónimo Everything Is Recorded gera uma experiência tão natural que, expandida para o espectro dos videoclipes, não é surpresa que ela mostre o mesmo casamento entre a tradição e a inovação.

Em “Close But Not Quite”, faixa que dá título ao EP, a voz do britânico emociona e constrói lentamente o ápice do refrão cantado por Curtis Mayfield no ótimo uso da sample de “The Makings Of You” com a sua dose extra de soul clássico, enquanto a base eletrónica acompanha esse desenvolvimento, também ameaçando uma explosão dançante que chega a lembrar produções dos ABBA, só para se retrair e voltar ao minimalismo que tinge a canção. A simplicidade é subestimada e, aqui, os mínimos detalhes conseguem criar a atmosfera de vulnerabilidade necessária para que o tom de Sampha brilhe como nas suas melhores composições autorais.

O acompanhamento visual da faixa ainda traz uma explicação quase didática para aqueles que estão perdidos sobre o que é, de facto, Everything Is Recorded. Com uma experiência de semi-imersão, o vídeo traz imagens das jam sessions que deram origem ao projeto encabeçado pelo produtor Richard Russell e 3Ds da construção de seu estúdio em West London. Descontração e efeitos chroma key à parte, o resultado pode parecer caótico a princípio, mas há uma ordem musical nessa bagunça que transparece não só no videoclipe, mas também em todas as cinco faixas que compõem o primeiro de muitos EPs planeados para 2017.

Por enquanto, ao menos neste início tímido do projeto colaborativo, o grande diferencial e também a maior qualidade de Everything Is Record é o encontro inusitado de artistas e géneros que, em teoria, não deveriam à partida render um casamento tão harmonioso. Ainda assim, ali estão frutos que também merecem destaque pelo brilhantismo da execução, como a excelente “Early This Morning”, que contém sample de “The Devil and Me”, faixa de 2010 do mestre Gill Scott-Heron cuja produção também ficou a cargo de Russell. Nela, o rap de Giggs ganha mais força e um quê de sombrio, acentuado pela rouquidão de Gill, fazendo dessa uma das músicas que mais se destacam no trabalho.

O conteúdo completo é produzido por Richard Russell, o mesmo nome por trás da XL Recordings e do estúdio The Copper House. De entre os vários nomes que participaram do EP e contribuíram criativamente para o projeto estão ainda ​Obongjayar, Tic, Warren Ellis, Infinite, Mela Murder, Green Gartside e Baluji ShrivastavClose But Not Quite EP é o primeiro de uma série de EPs e foi editado a 21 de maio.