A Honestidade é uma coisa boa. E quando a tornam inadequada a um momento da humanidade, é porque a humanidade está já se aproximando de outro momento, mais honesto, com mais Humanidade, melhor. Então, porquê falar sobre honestidade num artigo sobre Seapony? Porque eles são uma das bandas mais honestas da pop actual. E como atestar isso? Escutando as canções da banda chamada Seapony. Para quê? Para confirmar que aquele nome é honesto sobre o som da banda e que o som da banda é o que aquele nome sugere: dream pop de praia.

Dream pop de praia cantada por uma menina, uma menina adulta com voz de sereia, que inebria o espírito e num modo feérico submerge quem a escuta, não para junto de um pony marinho, mas para os dorsos dos encantados unicórnios de Neptuno… Ou de imensos albatrozes, com horizontes muito mais vastos que os da bicharada pedestre, como nós, pessoas – “I saw the light go on for miles” é o refrão da canção.

Banda residente em Seattle e com a alma nas praias dos arredores, os Seapony têm oferecido música sobre aquilo que são, boa onda – não quiseram, por exemplo, derivar para a oportunidade do revivalismo psicadélico. A própria capa do novo álbum A Vision (com saída agendada para 31 de Julho) não podia ser mais explicitamente honesta: a perspectiva de alguém que se sentou na praia, de frente para o mar e o sol poente. Quem não está na praia, escute para lá chegar porque “Saw The Light” é música para montar unicórnios marinhos.

jorge m m