Sevdaliza não é deste mundo. Ou se é, disfarça-o muito bem. Basta inserir ISON – o disco de estreia da irano-holandesa lançado em 2017 -, para se abrirem automaticamente os portões de ferro intrincados com passagem directa para um universo esfumado de constelações trip hop narcóticas e experimentais com r&b contemporâneo pelo meio, que não parece real e muito menos terreno.

Chegada a 2018 depois dessa viagem (ou diríamos antes, trip?) a ISON, Sevdaliza fazia saltar no início deste mês mais uma estrela que iluminava, de forma independente, o planeta que temos o privilégio de partilhar com Sevda Alizadeh. “Soul Syncable” vinha então pegar na ponta do fio de um novelo trip hop que parecia bem rematado para o continuar a desfiar.

Agora, Sevdaliza, que toca em Lisboa em Julho, volta a bafejar o universo com a atmosférica “Human Nature”, um novo tema original que, tal como acontece com “Soul Syncable”, editada especialmente como forma de assinalar um raro eclipse lunar, não faz até ver parte de uma nova constelação sonora.

De batidas lânguidas e demoradas, tensas e negras, “Human Nature” torna a atmosfera espessa, não de forma irrespirável ou hermética, mas com a leveza orbitacional de uma nave espacial exótica e imponente que gira em torno de si própria num habitat em que impera a ausência de gravidade. ISON foi editado a 26 de abril de 2017, pela Twisted Elegance.

Lê tambémSevdaliza flutua nos sussurrantes universos enigmáticos da trippy “Soul Syncable”