Boa parte deste ano viu Sufjan Stevens dedicar-se praticamente em exclusivo ao belíssimo Planetarium, um disco que descreve uma órbita completa sobre o sistema solar em vários actos – neste caso e em essência em cometas e planetas -, lançado em junho passado pelo projecto colaborativo que partilha o mesmo nome e que envolve também a cósmica ilustração sonora de Bryce Dessner dos The National, James McAlister e Nico Muhly.

Mas 2017 haveria também de reservar nos astros a edição no próximo mês da compilação The Greatest Gift Mixtape — Outtakes, Remixes, & Demos from Carrie & Lowel, uma sequência de temas que ficaram de fora do último álbum Carrie & Lowel que data já de 2015 e que verá agora parte dos seus segredos revelados.

Marco incontornável no percurso discográfico de Sufjan Stevens – em grande parte porque devolveu o músico aos territórios mais conotados com a folk depois de um período em que a sua produção musical se concentrava na electrónica experimental -, o disco estende-se agora, dois anos mais tarde, a várias composições inéditas, entre elas a nova “Wallowa Lake Monster”, um épico a roçar os 7 minutos e que espelha brilhantemente uma fusão entre a quietude e a delicadeza da folk e as incursões atmosféricas flutuantes e etéreas, quase assombradas, permitidas por um intrincado de sintetizadores.

Em maio passado, a editora Asthmatic Kitten revelou o vídeo de uma apresentação ao vivo de Sufjan Stevens em novembro de 2016 na Carolina do Sul e na qual foi tocado Carrie & Lowel na íntegra – o vídeo pode ser visto aqui.