Sufjan Stevens continua imparável no que toca a novos lançamentos e parece querer começar o novo ano exactamente da mesma forma que terminou o anterior: a compor canção atrás de canção para serem consumidas nas telas da 7ª Arte.

Num ano em que carimbou projectos paralelos à sua carreira em nome individual – como o incrível Planetarium em que coexistem também as veias criativas de Bryce Dessner dos The National e Nico Muhly -, andou a brincar aos iPhones e às demos e editou o álbum The Greatest Gift Mixtape — Outtakes, Remixes, & Demos from Carrie & Lowel, o norte-americano produziu em simultâneo temas para bandas sonoras, como “Tonya Harding” (que foi oferecida ao realizador do filme com o mesmo nome mas que acabou por recusar, não constando assim da OST oficial) e três canções para o filme Call Me By Your Name.

A película, que estreia em Portugal e no Brasil a 18 de Janeiro, foi realizada por Luca Guadagnino e conta a história de Elio Perlman, um rapaz de 17 anos que se apaixona pelo assistente do pai, professor de cultura greco-romana, no Norte de Itália durante a década de 80. Sufjan Stevens contribuiu com um remix de Doveman para “Futile Devices” – tema originalmente parte do alinhamento do álbum Age Of Adz, de 2010 e ainda com os inéditos “Visions Of Gideon” e “Mystery Of Love”, divulgados em Novembro.

Agora, o norte-americano deixa o vídeo oficial para a última, no qual são usadas imagens extraídas do filme, algumas delas filmadas no Museu Arqueológico Nacional de Nápoles. Sufjan Stevens confessou recentemente ter sido convidado por Guadagnino para narrar e entrar no filme, convite que foi declinado.