Se as mais de duas dezenas de álbuns que Swamp Dogg, soulman e lenda do r&b, não tão mediática quanto a sua discografia e legado deixaria antever, tem já na sua estante de história e de histórias não forem suficientes, a abrangência estética de som que coloca na sua escrita e que atravessa de forma superior também o blues, o disco, o rock n’roll e o southern, são mais que cartão de visita obrigatória à sua obra. Swamp leva já quatro décadas de carreira sob esta assinatura, apesar de ter estado já no activo enquanto Jerry Williams Jr durante as décadas de 50 e 60. É pôr a rodar Total Destruction to Your Mind, o seu disco de estreia de 1970, e tentar descobrir as marcas deixadas por Jerry na obra de nomes como Ben Harper, Sampha, Unknown Mortal Orchestra, Prince e, claro, Jack White e Sharon Jones.

Não é suficiente? Então, refira-se que Swamp chega aos 75 anos e reúne em seu redor dois nomes essenciais da música do século XXI no geral e dois monstros da cena alternativa em particular para introduzir o capítulo seguinte na sua já longa discografia. Justin Vernon e Ryan Olson dos Poliça, Gayngs e Marijuana Deathsquad surgem em “I’ll Pretend” para revirar a já costumeira abordagem desviante de Swamp Dogg em direcção a uma restruturação de detalhes blues, soul e funk perfeitamente nova na obra do músico da Virginia.

“I’ll Pretend” vem revestido de camadas e camadas e camadas de synths e de um diálogo a duas vozes num único personagem diluído em vocoder – instrumento que sintetiza a voz humana. Swamp manipulou primeiro a sua voz de forma a retirar o elemento humano e distanciar-se dessa condição emocional, e Vernon acrescentou depois vozes e mais layers de vocoder. Olson tratou de produzir e criar uma realidade paralela para o tema de Dogg, além de assegurar esse papel ao longo de todo Love, Loss, and Auto-Tune, o disco que sai a 07 de Setembro pela Joyful Noise Recordings. Olson confessa:

The first thing I thought was this white boy must be crazier than a motherfucker. But I listened to how deep he’d go experimenting with the music and I liked what he was doing … I was knocked out by what I heard. I couldn’t believe it was me. It’s some of the greatest and outrageous music I’ve ever heard come out of the Swamp Dogg.

Swamp Dogg descreveu já o novo disco como uma obra sobre solidão, tendo em “I’ll Pretend” a introdução perfeita em formato de uma canção sobre a guy sitting in a restaurant by himself losing his fucking mind because he’s hoping his woman is gonna walk by, but she’s at a Ramada Inn somewhere fucking somebody else to death. 

Mais palavras? Não é preciso. Em baixo o alinhamento de Love, Loss, and Auto-Tune e o vídeo realizado por Isaac Gale e Ryan Olson.

Love, Loss, and Auto-Tune

1. Answer Me, My Love
2. Lonely
3. I’ll Pretend
4. I’m Coming With Lovin’ On My Mind
5. $$$ Huntin’
6. I Love Me More
7. Sex With Your Ex
8. She’s All Mind All Mind
9. Star Dust

Swamp Dogg - Love Loss and Auto Tune

Swamp Dogg – Love Loss and Auto Tune