Com o fim do quinteto Pete and the Pirates, Pete Cattermoul e os irmãos Thomas e Johnny Sanders não quiserem desperdiçar o seu talento e recrutaram Hiro Amamiya para assim formarem os Teleman. A banda londrina lançou o seu primeiro álbum Breakfast em 2014, tendo sido comparada de imediato a nomes como Alt-J ou Django Django, embora o primeiro álbum não tenha tido um estrondo tão grande como o de estas bandas teve.
O estilo característico da banda, que se assemelha ao pop dançável de The Beach Boys e ao indie de Wild Beasts, fez com que Breakfast fosse um bom álbum de estreia, deixando quem o ouvisse, ansioso por mais.

Para o seu segundo álbum, as expectativas são as maiores. Não só por contar com a ajuda de Dan Carey, que produziu álbuns de artistas como Bat for Lashes ou Kate Tempest, mas também pelo amadurecimento que a banda tem vindo a ganhar.

Este amadurecimento torna-se notável, então, no single “Fall in Time”. Trata-se de uma música pesada, que relata a luta por uma relação falhada e condenada. Nos primeiros instantes, a junção entre o piano do irmão Johnny e as palavras do irmão Thomas dá um tom sinistro à música, que é abandonado por completo quando chega ao seu poderoso e cativante refrão, mantendo-se este tom até o seu fim. Ironicamente, por mais sombria e pessimista que a música tente ser, o seu vídeo é composto exclusivamente por confetis, que se vão tornado cada vez mais coloridos com o decorrer da música e à medida que se afastam do tom sinistro registado ao início.

“Fall in Time” é então uma amostra do crescimento dos Teleman. Resta esperar pela Primavera para saber se não houve “dores de crescimento” mas, a julgar por este single, algo é certo: desta vez, não vão passar despercebidos. De modo a promover a chegada do novo álbum, foi lançado um trailer para Brilliant Sanity que pode aqui ser visualizado. O disco sai a 08 de Abril pela Moshi Moshi.