Parar… às vezes é preciso parar. Quando todos os certos passam a errados é altura de desligar as máquinas e pensar noutras figuras de estilo, noutras linhas para o poema. Rolf Klausener, ou mais conhecido pela figura central em torno do qual gravitam as canções dos The Acorn precisou de cinco anos para voltar a oferecer ao mundo música nova.

Depois de No Ghost em 2010 ser escrito em plena zona de guerra emocional com rupturas dolorosas em termos profissionais e pessoais à mistura, Klausener decidiu parar e mudar o rumo. Observar e ver e reescrever novas perspetivas:

I wasn’t ready to commit to anything, musically or otherwise. I’d lost perspective of the project’s place in my life, and felt saddled to a horse I didn’t recognize, or even know how to ride.

“Influence” marca o regresso do canadiano. Mais electro que folk, mais minimal do que a dever algo à Americana, o novo tema marca uma mudança de direcção apresentando um possível álbum revestido das mesmas camadas sónicas soul e R’N’B de James Blake e How To Dress Well dando mais visibilidade às pistas vocais, a base da composição do novo “Influence”.

It was written around this lilting vocal improvisation that had no discernible verse or chorus; I wanted the melody to float from bedroom to bar, happily lost, immune to stink eyes.

O disco ainda não data marcada nem nome tornado público mas sabemos que deverá sair no final da Primavera pela Paper Bag Records.

alec peterson sig

 

 

 

The Acorn INFCover