The Afghan Whigs - Do To The Beast
80%Overall Score

“Parked Outside”. Qual introdução, qual quê? Toma lá, estacionado lá fora, com tudo o que tens direito, para gritar, bater o pé, abanar esse cú e saltares em êxtase como se amanhã fosse o teu primeiro dia depois de aquele outro. “Matamoros”. Mexe-te como se fosses maluquinho ou não tivesses vergonha de fazer figuras à frente da tua tia. Claro que também podes desligar a música… ssshhh, quieto! Curte lá a cena até ao fim, entra na onda. Deixa-te ir. I’m over you. “It Kills”. Relaxa, entra no ritmo, deixa-te crescer, viaja na mágoa, perde-te nas profundezas, mas volta igual a ti mesmo. Mata mas não mói e vale sempre a pena, até porque o fazemos uma e outra vez, sem parar. “Algiers”. E depois, vai. É o curta-duração. Tens desculpa. Ninguém te há-de reprimir. Vai. “Lost In The Woods”. Surpresa. Já me conheces. Agora sim, perde-te. Sem lobos maus, bruxas ou casas de chocolate. Mas fá-lo com atitude, queixo levantado e uma força própria na monotonia e na alegria que é esta vida. “Let’s get lost, alright, lost in the woods”. “The Lottery”. No meio está a virtude, dizem, mas também é no meio que começa o fim. Começa-o com garra, espaço para crescer e mistério. Boa curta-duração, melhor do que a anterior. Excelente estadia, a prever um clímax crescente. “Can Rova”. Postes, longas estradas e um caminho árduo a percorrer. “See the light, be the night”. Entra em ti e perde-te. Revolta-te e volta-te, está tudo aí. “Dança menina, dança.” “Royal Cream”. Pedra. Uma voz. Uma causa. Uma guitarra. Uma malha do caraças. Dá-lhe, dá-lhe. É agora ou nunca. Grita. Bate. Abana-te. Salta. E faz tudo de novo pela mesma ordem e por outra ordem qualquer, não fiques indiferente, vive. “If you are human, this is humanity”. “I Am Fire” que arde sem se ver. Paralelos. Contratempos. Marchas. Irreversíveis momentos de uma vida, sem nexo nem sexo. É o calor que me derrete, é o fogo que me queima, é o amor que faz, é a paixão que me desfaz. “These Sticks”. É o fim, mas o fim do quê? É o fim da besta? O fim de nós enquanto bestas? Atacar as nossas bestas para nos recriarmos mais bestiais. Altos e baixos. Baixos e mais altos. Ir ao fundo da piscina, ganhar balanço para chegar à superfície mais depressa. Ir ao fundo porque nunca lá fomos. Ir ao fundo porque nos empurraram. Ou não ir.

Do To The Beast. Intimista. Forte. Profundo. Para se ouvir estupidamente alto no âmbito de uma viagem pessoal, acompanhado ou no meio de uma multidão de calhaus ignorantes. Para se fazer à besta. Stop the bleeding.