The Men - Tomorrow's Hits
90%Overall Score

Brilhante este Tomorrow’s Hits! Por diversas razões que se desembrulham num rol de elogios. É um álbum esclarecido e épico, fazendo jus ao seu título de apresentação. Oito temas que se assemelham a oito fichas de viagem numa máquina de tempo bem afinada. Alucinante, como comprimidos de efeito rápido em pistas de avant-punk e revivalismo indie.

Este é o quinto trabalho da banda, mas – e sem sombra de dúvida – o melhor! O tema introdutório,”The Dark Waltz”, coloca a intenção dos músicos já num ponto de partida bem avançado. Mal terminada a sua audição, damos conta que se assemelha a outros temas com selo de hit. Desmazelada a canção, numa sinfonia de acordes barulhentos e quadrados, de sublinhar o trabalho do solo final das guitarras e harmónica, a sofrerem uma despreocupação premeditada e tão viciante, ainda assim. Todavia, rege o espírito desafiador, alicerçado numa simetria de precursão e piano. Há ali qualquer coisa de Tom Petty, Neil Young e Creedence Clearwater Revival. Sendo que a influência da terceira está bem patente no “Get What You Give”.

Nas nossas viagens anteriormente anunciadas, queremos fazer escala no “Sleepless”, possivelmente a escuta mais retro que podemos encontrar neste trabalho dos The Men. Há ainda claras influências de hard blues em “Pearly Gates”, sendo que o frenesim e a energia da banda vão ganhando contornos quase inatingíveis. A produção sonoplástica é impressionante, atingindo em algumas músicas picos sinfónicos arrebatadores.

É um trabalho que tem tudo o que se pede: músicos excelentes, ousadia, ausência de medo de errar; o que lhe confere uma grande dose de risco, mas também de mérito. Mesmo que pareça um remake de qualquer coisa, a verdade é que tal condição não lhe determina qualquer limitação. É, sim (!), um regozijo ouvir este álbum contemporâneo deslocado do seu tempo para o tempo que faz falta: hoje!