Conhecidos são já os inúmeros projectos musicais desenvolvidos fora dos Radiohead, tanto de Thom Yorke como de Jonny Greenwood e Phil Selway, que volta e meia surgem com temas a vulso ou se encontram em pleno processo de construção de bandas sonoras para a 7ª arte.

Thom Yorke ficou agora encarregue de dar ambiência sonora a um curta, mergulhando assim de forma ainda mais profunda no emaranhado de fios electrónicos que têm vindo a ser omnipresentes nas suas construções sonoras mais recentes e que aqui aparecem transfiguradas numa estirpe de um IDM experimental completamente submerso na identidade muito própria e particular do britânico, que assim chega perto do universo sonoro, por exemplo, de Flying Lotus, com quem Yorke tem colaborado em diversas ocasiões.

A banda sonora do vocalista dos Radiohead figura em Why Can’t We Get Along, um pequeno filme da marca rag & bone que ocupa um armazém vazio preenchido com uma coreografia protagonizada por bailarinos do American Ballet Theater, a quem se juntam as HipLet Ballerinas, Bulletrun Parkour e Ansel Elgort, de Baby Diver, e Kate Mara da série “House Of Cards”.

Jonny Greenwood tem já uma longa carreira a dar som a películas cinematográficas, estando inclusive nomeado para um Óscar pela composição da banda sonora original do filme Phantom Thread, aquele que poderá vir a ser o último filme com Daniel Day-Lewis, realizado por Paul Thomas Anderson – com quem os Radiohead mantiveram uma estreita relação nas representações visuais para A Moon Shaped Pool, o nono disco dos rapazes de Oxford editado em 2016.