Uma verdadeira viagem ao paisagismo das auras da banda é o que se pode dizer sobre o trabalho videográfico alternativo a “See” dos Tycho… sobram poucas palavras para descrever a beleza, imaginação e inovação que desfilam em frente aos nossos olhos. Olhos que estão numa dimensão e a banda noutra.

Este edit dirigido por GMunk, que tinha já realizado a versão original do vídeo, é uma montagem da performance completa da banda usando imagens em infravermelhos captadas por uma Kinetic. Uma experiência assombrosa a todos os níveis como se a banda fosse de alguma forma uma constelação viva. Diz GMunk:

The visual results tie perfectly with the concept of “See”. We always seem to reveal new worlds that are beyond our terrestrial abilities of sight.

Tal como explicado à The Creators Project Joe Picard, o responsável pela cinematografia de “See” refere:

We started experimenting with infrared lighting and discovered that the IR emitter in the Microsoft Kinect projected a starfield-like dot pattern not unlike what a 3D render of point cloud data looks like. Captured with our full spectrum camera, it became photographic, where fields of bokeh and shimmering discs reveal multiple layers of shape and form. In addition some of the lens flares we were able to make with the Kinect are unlike anything we’ve ever seen before—creating super dense moire patterns and 3D-like caustic inversions of lens geometry.

Para captar as imagens, a equipa filmou toda a performance no escuro sem os membros da banda se verem uns aos outros e sem saberem onde e quem estava a câmara a filmar.

Entretanto, os companheiros de editora – a Ghostly International – Beacon lançaram-se num rework do mesmo “See”, alterando completamente a música simplesmente adicionando voz ao tema. Este é o terceiro de uma série de remisturas para temas retirados do álbum Awake surgindo no seguimento da remistura para a faixa que dá nome ao disco por Com Truise e o trabalho de Bibio para “Spectre”.

alec peterson sig