Os suecos Hater deveriam fazer parte dos radares alternativos pelo menos desde o primeiro álbum, Siesta, editado em 2018, senão mesmo desde Red Blinders, o EP de estreia que conta mais um ano de vida que a soneca after lunch da banda de Malmö.

Numa constante divagação entre um jangle pop belleandsebastiano, as linhas de guitarras dos The Sundays, o synth dos Still Corners, aqueles tons de sol e cidade ao final de dia quando o sol bate torrado nos rostos sentados nas escadas dos prédios que os Beach Fossils tão bem sabem inspirar e, sim, uma certa postpunkiness que as terras do norte tão naturalmente sabem incorporar, os Hater vivem na v do seu baptismo. As canções são quase sempre mais doces do que agri, mais agri do que tristes e constante e transversalmente belas.

O mais recente single dos Hater confirma isso mesmo. “Sift”, o primeiro tema da banda desde o single do ano passado “Four Tries Down”/”It’s A Mess”, impõe as guitarras com contenção num tema de slow noise-pop sombreado e pesadamente delicado. Bonito, mesmo muito bonito!