São tantos os laços que nos unem, da arte – em todas as suas formas –, às mais viscerais emoções provenientes de um grito, de um pulo, de um abraço, e no verão, aquilo que nos une torna-se mais forte ainda: são os festivais, as pistas de dança, as noitadas, os copos, os amigos, o calor, a música. E, de uma maneira natural, orgânica e avassaladora, os Thunder & Co. compreendem bem tudo isso, sabem que o que nos une pode nunca ser facilmente explicado, mas que quando se sente, sente-se bem cá dentro, no âmago, naquele sítio que nos desperta de um qualquer torpor ou letargia quando se ouve aquela batida que nos faz sentir vivos. Electrónicos, científicos, tecnológicos e toda uma panóplia de adjectivos que parece demasiado curta para descrever este duo Lisboeta composto por Rodrigo Gomes e Sebastião Teixeira, autores do brilhante e muito elogiado remix para “How Deep Is Your Love“, dos The Rapture, o que os inspirou a escrever as suas próprias músicas. Após uma primeira amostra com o tema “O.N.O.” no ano passado, estrearam-se com o álbum Nociceptor – nome que advém dos receptores sensoriais que nos causam a percepção da dor -, e os temas aqui presentes unem subtilmente o prazer pecisamente à dor; o prazer do movimento dos corpos sob as luzes dos strobes e dos grooves que nos invadem o corpo e a mente, e a dor do pós-noite, de uma noite em que é de todo impossível parar, a noite que esgota mas preenche a alma.

Há algo de familiar no som dos Thunder & Co. e ainda bem que assim é. Ouvi-los remete-nos para os sons de uns The Presets, Pnau, Justice ou mesmo dos nacionais Moullinex, e ainda bem que assim é. É essa familiaridade que faz com que tão facilmente se aprecie o groove electrónico cunhado pelos Thunder & Co., tingido com doses liberais de catarse emocional, bem patentes nas letras que ilustram os temas que compõem Nociceptor. Ouvi-los puxa pela emoção. Puxa pela memória, e o efeito eidético que as melodias próprias da banda causa em nós é instantâneo e inegável. A linguagem dos sintetizadores dos Thunder & Co. é universal. Fala-nos dos laços que nos unem. Laços de sangue, laços de hidrogénio, laços de família – unidos sob a rítmica sonoridade que nos trazem, os nossos laços e os do Thunder & Co. tornam-se inseparáveis.

A acompanhar tudo isto, somos presenteados com o vídeo oficial para “Hydrogen Bonds”, todo ele actual e social, criado única e exclusivamente através da aplicação Snapchat e concebido para a visualização ideal em smartphones. Aqui, aliado a uma melodia inquietante em contínuo crescendo, há uma narrativa de solidão, separação, perda… uma narrativa sobre o que nos une tantas vezes pode ser tão semelhante quanto aquilo que nos divide. Em círculos, a olhar sempre em frente, com um olho no que foi. Não há silêncio aqui, não há quietude. Há um ritmo e um conhecimento desse ritmo que os Thunder & Co. nos transmitem. Há algo que nos é familiar e que nos une. Há um desejo de movimento, de suor a escorrer pelo corpo, de toques, de olhares. Há uma vontade de sair e ouvir e estar vivo. E mais do que isto… bem, mais do que isto não se pode exigir. Auguria-se um risonho futuro para os Thunder & Co. Um futuro a levar mais um nome nacional ao sucesso além fronteiras. Um futuro recheado de temas que aquecem, as noites e as almas. Um futuro, um futuro na melhor das companhias, daquelas que trovejam e inspiram e nos fazem mais audazes.

Nociceptor pode ser ouvido em streaming na página Soundcloud da banda, e adquirido via iTunes aqui. Em baixo, o novíssimo vídeo oficial para “Hydrogen Bonds”.