Pedro Caetano, Daniel Cherney, Alex Prete e Robin Paul Braum. Ou, por outras palavras, uma banda de genealogia globalizada onde convergem os legados culturais do Brasil, República Checa, Itália e Alemanha coroada por terras britânicas. Foi na Goldsmiths College em Londres, também frequentada por James Blake, que se mesclou esta miríade de acentos geográficos e se conheceram estes I/M/M/I/G/R/A/N/T/S que nos quatro temas do seu EP de estreia espelham pedaços da sua diversidade genética e intercâmbio multicultural.

E, se neste caso, como em tantos outros, a universidade foi o catalisador para a formação dos Lucidalabrador, é numa atmosfera grungy de aura empoirada, suja e densa de baixos tensos, guitarras arrastadas e baterias distendidas que se fermentam e esboçam as equações sonoras debroadas a riffs pesados de ímpeto austero pelas quais se regem as quatro faixas do EP que exploram distinta e subtilmente mudanças rápidas de andamento entre tons mais agressivos ou submissos.

I/M/M/I/G/R/A/N/T/S está já disponível e esperamos conferi-lo ao vivo na digressão europeia que se lhe segue dentro de momentos.

rosana rocha sig