Reza a lenda que, em Paredes de Coura, a música transforma-se nos ossos até beijar a pele e, em todo esse processo, electrifica o corpo fazendo-o dançar e fluir na magia majestosa do habitat natural da música. Nesta 25ª edição, a magia emerge das árvores, em especial de um tipo de árvores que é raro ver-se hoje em dia: as árvores falantes. Árvores essas que se fizeram ouvir pelas dez horas da noite do dia de ontem.

O anúncio foi feito através da página oficial do festival no Facebook e falta de originalidade é coisa da qual a organização do Vodafone Paredes de Coura não pode ser acusada. As luzes de natal nas árvores do recinto começaram por revelar e acolher os primeiros quatro artistas que farão parte desta nova edição.

Uma da primeiras confirmação do festival são uma banda que tem sido regular nos palcos (festivaleiros e não só) portugueses nos últimos anos. Os Foals trarão consigo o último What Went Down, disco de 2015 que trouxe à banda uma nova identidade construída pelas guitarras sem perder a chama dos álbuns que o antecederam. Os britânicos prometem em Coura levantar a poeira dos moshes e da confusão belíssima que costumam armar nas primeiras filas. Esta será a 5ª visita da banda a terras lusitanas depois de última passagem pelo NOS Alive deste ano. As imagens, essas, para não esquecer, podem ser vistas aqui. Prontos para reentrarem nos portões de Yannis?

Para não decepcionar os amantes da confusão e do crowdsurfing, Ty Segall vem cumprir o desejo de todos os festivaleiros de sentirem a adrenalina tatuada na terra num momento em que, com certeza, farão estremecer o rio Coura fazendo-o, ele próprio, surfar sobre a massa humana. O mais recente álbum, Emotional Mugger lançado no início do ano que se aproxima do fim, é uma viagem cheia de fuzz e distorção na guitarra e apresentou um Segall obscuro e rei de um punk rock de garagem assente em estruturas de exponenciação noise. Ty Segall não estranhará o ambiente que gira à volta do festival, pois já marcou presença em 2015 com os FUZZ, banda da qual é membro. Relembre-se que Ty Segall esteve na edição deste ano do Primavera Sound no Porto.Ty revelou a meio de Novembro aquele que será o sucessor de Emotional Mugger e a primeira amostra sonora, “Orange Color Queen”.

Quem também esteve na última edição do Primavera Sound foi Will Toledo com os seus Car Seat Headrest, um dos restantes nomes que abrem os portões de Coura. Teens of Denial foi lançado a 20 de Maio pela Matador Records e foi considerado pela Rolling Stone um dos melhores álbuns de 2016, ocupando o 3º lugar, tendo sendo apenas batido por BowieChance The Rapper. Um álbum desalinhado numa onda que se desdobra pelo punk rock ao estilo dos Ramones e se redescobre em bandas como The Strokes ou até mesmo em clássicos como os Pavement ou os Hüsker Dü. Com 10 discos em apenas 6 anos, Will Toledo, Andrew Katz, Ethan Ives e Seth Dalby, regressam ao nosso país para preencher todos os recantos de melodias perfeitas para conduzir ao lado de “Drunk Drivers”, por onde passaremos por inúmeras estradas com sabor a nostalgia. Um olhar fotográfico pela passagem de Will pelo Parque da Cidade do Porto aqui.

Depois de passagens pelo Mexefest em 2014, pelo Super Bock Super Rock de 2015 e algumas viagens e concertos ao longo de Coimbra, Porto e Lisboa, Benjamin Clementine volta a Portugal para actuar em Paredes de Coura. Um daqueles concertos onde a melhor companhia será um copo carregado de álcool e um cigarro pensativo enquanto fixamos os olhos no piano de Clementine e flutuamos nas ondas sonoras da sua voz interiorizando-as numa tempestade caótica vinda de uma voz metade soul metade blues. O britânico venceu o Mercury Prize pelo seu álbum de estreia lançado em 2014 At Least For Now através da Behind Records/Barclay. Talvez seja melhor não relativizar o universo de um músico tão singular que projecta a sua música como uma película ainda por revelar dentro dos nossos ouvidos. Recorde-se aqui a sua passagem pelo Coliseu dos Recreios em Junho.

A 25ª edição do Vodafone Paredes de Coura está a plantar sementes para um festival que se espera ser um dos melhores do ano de 2017.