Os britânicos White Lies, um dos bastiões máximos do post-punk revival da geração millenial, vão ter finalmente um palco só para si em terras portuguesas, depois de dois festivais, Paredes de Coura em 2010 e Alive em 2011. Será o palco do Grande Auditório do C.C.B. e separam-nos apenas menos de quatro meses do reencontro. A data marcada para o rendez-vous é a de 18 de Novembro.

Não fosse isto notícia suficiente para vestir, apesar do calor, a gabardine e dançar em frente ao espelho como se o futuro acabasse já agora, a banda de Harry McVeigh (voz e guitarra), Charles Cave (baixo) e Jack Lawrence-Brown (bateria) revelou hoje mesmo o primeiro single do novo disco que não tarda a chegar. Friends chega com o ínicio dos dias cinzentos de Outubro e “Take It Out On Me” está já disponível para começar a torturar as almas Manchesterianas e doces do mundo.

O novo single não deixa os créditos do trio londrino por mãos alheias. A continuidade do legado dos White Lies permanece intacta. Os teclados oitentistas, a voz delicada e tortuosa, a batida que pede um pogo arrastado e as letras intimas e afectadas, românticas e mundanas, sinceras, despojadas, “Take It Out On Me” segue a linhagem real dos ícones da cena post-punk mais sintéctica dos anos 80. Os ecos de Ultravox, Duran Duran e Human League são ainda uma presença, mas a orgânica dos Psychedelic Furs, Wall Of Voodoo ou os incontornáveis The Cure, aliados a uma definição muito própria do que é ser White Lies, mantêm a banda na liderança do seu campeonato.

Friends será o quarto disco da banda. Uma carreira pontuada apenas por discos superiores, espaçados, escritos sem a pressa e longe da velocidade da indústria moderna. Onze anos se recortam nos livros de memórias e apontam o disco de estreia homónimo para 2005. Só em 2009 os White Lies regressam às edições com To Lose My Life, o disco que os lança definitivamente para os radares atentos da imprensa especializada e para os corações do público. 2011 vê chegar Ritual, a afirmação enquanto potência superior do post-punk actual e 2013 o último sinal de vida até agora com Big TV. E agora somos todos novamente amigos.

Ah a Saudade já era tanta! E que sentimento mais post-punk que a Saudade!