Os Wire instituíram o dia 18 de Agosto como a data a acolher a reedição de Document & Eyewitness, álbum gravado ao vivo e originalmente editado em 1981. Quando informado da intenção da banda em revisitar aquele que se veio a revelar como um marco infame na sua história, o patrão da Rough Trade Geoff Travis, responsável pelo lançamento do vinil original, comentou que tal desejo constituía um delírio louco. A verdade é que Document & Eyewitness acentuou a tónica de álbum fracturante e controverso que reclamou para si tantos detractores inflamados como apoiantes devotos, mas que o tempo se encarregou de tornar numa batalha ganha imbuída de legitimidade no restante catálogo.

Document & Eyewitness traduz-se numa colecção de gravações ao vivo retiradas de três concertos realizados na viragem da década de 80 e, mais que isso, o que lhe confere a sua ignomínia é a natureza pouco ortodoxa da actuação principal e a forma como foi apresentada em registo discográfico. A gravação principal do vinil original centra-se num espectáculo realizado no final da década de 70 no Electric Ballroom que se desenvolveu a partir da residência da banda no Jeannetta Cochrane Theatre uns meses antes. Cedo se percebeu que não constava da lista de prioridades dos londrinos a entrega de um concerto rock em sentido tradicional, uma vez que os temas não estavam a ser tocados na íntegra. O set compôs-se também de um grande número de temas novos e pouco ou nada ensaiados acompanhados por uma série de intervenções e acções artísticas que indiciavam uma abordagem de índole mais ampla e abrangente por parte da banda em relação ao desempenho em palco e entretenimento predestinados para essa noite. Entre as pérolas que fizeram a história desse evento contam-se um indivíduo a bater num fogão a gás com um martelo, uma mulher a atravessar o palco arrastando atrás de si dois homens amarrados, um ganso iluminado e percussionistas a envergar jornais como acessórios nas suas cabeças. Um dos membros da banda vestiu um fato de apicultor de formas bastante exageradas, enquanto os restantes preferiram adornar-se de plainas revestidas de sinos. Oscilando entre o lúdico e o inquietante, esta actuação resultou numa combinação entre arte performativa e teatro absurdo e surreal em mais ou menos igual medida.

Mais que tudo, esta foi uma actuação memorável, apesar da reacção excepcionalmente hostil por parte de várias secções da plateia. Aliás, foi talvez precisamente essa reacção a grande responsável pela imortalidade de um momento que noutras circunstâncias teria sido apenas um mero acontecimento exótico passageiro e efémero. O nível de indignação, personificada no ocasional arremesso de garrafas para o palco, sugeria que a intenção da banda se tinha perdido na assistência, que se confessava cada vez mais confusa, entediada e exasperada com um exposição artística caprichosamente pretenciosa. Inegável é o facto da documentação e apresentação em registo deste espectáculo pretender emprestar um ar de seriedade e intencionalidade a algo que ambicionava consideravelmente mais ser apenas algo de inclinação experimental do que propriamente uma escolha deliberada de carreira. Foi nestas circunstâncias que surgiu uma gravação para a posterioridade, gravação essa marcada por vários problemas técnicos. Poucos meses mais tarde, todos os membros da banda lançaram-se nos seus próprios projectos individuais. Um ano passado sobre o espectáculo realizado na Electric Ballroom, a Rough Trade propôs à banda o lançamento em vinil de algumas faixas seleccionadas desse concerto, apondo e incluindo no registo comentários de Adrian Garston e Russell Mills, fãs da banda. Daí o título Document & Eyewitness. Ao material recolhido nessa noite, foram adicionadas gravações de um outro concerto realizado em 1979 na Notre Dame Hall, juntamente com o tema “Heartbreak”, também de 1979, gravado em Montreaux quando os Wire actuavam como banda de suporte dos Roxy Music.

O contexto é relevante e torna-se imprescindível situar o material neste ponto tão particular da evolução do percurso da banda. Por diversas razões, tanto positivas como negativas, este período específico na história dos Wire veio a revelar-se como um marco fundamental e decisivo, num momento em que, paradoxalmente, atravessava uma fase de energia criativa intensa e ao mesmo tempo se começava rapidamente a desintegrar, como se mergulhada num banho de ácido. A reedição de Document & Eyewitness encontra-se disponível no formato cd e vinil duplo, juntamente com 3 bootlegs oficiais, e da qual foi retirado o seguinte excerto.

rosana rocha sig

 

 

About The Author

Related Posts