A paixão cinemática de Soulsavers em novo tema

Um disco que nasce de uma obsessão – todos nós temos obsessões, predilecções ou paixões por cantores, actores, discos ou realizadores – um disco que nasce de uma fase de compulsividade em torno de uma obra, quem nunca se dedicou semanas a devorar discos ou filmes de um só autor ou inspiração que atire a primeira pedra.

Rich Machin, metade do combo britânico Soulsavers, confessa o mesmo. O que começou como um revisitar acidental de alguns filmes de Stanley Kubrick rapidamente se desenvolveu para um festim cinematográfico compulsivo de toda a obra do realizador de Clockwork Orange, Shining e Dr. Strangelove.

A while ago, I quite casually started revisiting some of Stanley Kubrick’s films, and pretty soon I was watching them all. I found myself really relishing Kubrick’s amazing attention to detail and how each film had it’s own completely unique mood. I’d wanted to make an instrumental record for ages… I found I could draw on these different moods as starting points for the music.

E assim nasce Kubrick…. Um disco comovente e de uma beleza assombrosa com arranjos de cordas sumptuosos, sopros ostensivos pontuados por elementos percussivos estrondosos e melodias de pianos, orgãos e guitarras que delineiam uma tendência cinemática já por si natural em Soulsavers e potenciada naturalmente pelo fantasma inspiracional do realizador. Contudo Machin realça que o disco

is not so much a musical homage to the director’s films as a journey into the kinds of emotional landscape and all-embracing atmosphere the great auteur delighted in creating.

Kubrick é composto por oito temas cada um deles baptizado segundo um personagem da obra de Stanley Kubrick: “DeLarge”, “Clay”, “Torrance”, “Dax”, “Joker”, “Hal”, “Mandrake” e “Ziegler”. O novo trabalho de Machin e Ian Glover está previsto para o inicio de Dezembro e vai suceder ao ainda por editar Angels & Ghosts, disco em conjunto com Dave Gahan dos Depeche Mode que sai  dia 23 deste mês. Em baixo, para ouvir, fica “Clay” de Kubrick, editado pela San Quentin, e “All of This and Nothing” de Angels & Ghosts, que sai com o selo Columbia Records.

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/228341978″ params=”color=dd5135&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false” width=”100%” height=”166″ iframe=”true” /]